O tribunal do povo

1. Tal como aqui se deixava antever, há uma semana, o Secretário de Estado da Administração Interna concedeu uma entrevista em exclusivo ao Mensageiro, que pode ler nas páginas anteriores.
Jorge Gomes já passou por muita coisa na política mas sempre soube escolher as batalhas que queria travar. Quando os tempos assim o exigiram, deu um passo atrás para poder, mais tarde, avançar dois em frente.
Deixou a Distrital do PS porque, como confessa nas páginas ao lado, já não se sentia confortável com a situação e que já deixava antever as fraturas que vieram a confirmar-se mais adiante, quando António Costa decidiu avançar e desafiar a liderança de António José Seguro.
Agora, quem está seguro é Jorge Gomes, que sempre protegeu as costas do António que lidera os destinos do país. Uma posição privilegiada que lhe foi atribuída por nele se reconhecerem os méritos que já deixara antever na vida de dirigismo associativo e político mas, sobretudo, nas funções de Governador Civil do distrito de Bragança.
Depois de muitas vezes ter sido substimado, Jorge Gomes soube ter paciência e com certeza que agora se diverte com aquelas “aproximações desinteressadas” que lhe chegam.
Conheço Jorge Gomes há muito mas, mais de perto, só convivi com o então Governador Civil. Frontal e pragmático, vai deixar, com certeza, a sua marca num dos Ministérios mais pesados do Governo e com alguns dos dossiês mais complicados que há para gerir.
Mas é ler a entrevista concedida ao Mensageiro, para ficar a conhecer um pouco melhor este que é o único representante do Nordeste Transmontano no Governo da Nação e o que isso pode trazer para a região.

2. A Ministra da Justiça decidiu acertar a reforma do mapa judiciário iniciada pelo Governo de Passos Coelho. As primeiras informações que vão sendo conhecidas não apontam para grandes alterações no distrito de Bragança. Ou muito me engano ou estes acertos ainda carecem de algum... acerto. A confirmar nos próximos dias.