Frei Soeiro

A INFÂNCIA DOS DIAS

 
A mulemba e o grão de areia
Frei Soeiro
 
Não sei bem se como o filho pródigo dos Evangelhos, se como o peregrino de “Os Simples”, regresso a estas páginas. Houve tempo em que aqui me sentia em casa. Tão à vontade que me autorizava a pensar em voz alta e a ir, rua abaixo, como quem chama amigos para a mesa. Não sendo tão longe esse outrora no tempo, é distância que me proponho encurtar.

A INFÂNCIA DOS DIAS

Dias cheios como ovos. E o Natal à porta, e os cartões a avolumarem-se – a exigirem sincera ou circunstancial resposta –, e as prendas e… 

[A INFÂNCIA DOS DIAS] - Histórias do Mundo

Todo o instante presente é imensamente limitado, curto e fugaz. Com a idade vai-se ganhando a medida e o peso do vivido. Aprende-se a colocar a vida em perspectiva, a enquadrar, a focar os gestos e as palavras, a distinguir o importante do secundário. Parece, porém, que nunca a soma do vivido nos capacita para dar conselhos. Aconselhar é coisa séria. Tem qualquer coisa do alfaiate que, partindo das suas medidas, faz fatos para outros.