A opinião de ...

Bancos apostam em crédito fácil online

Para atrair clientes, os bancos prometem ajudar a realizar sonhos, diversificam as ofertas, baixam as taxas e simplificam as condições de acesso ao crédito. A oferta de crédito fácil surge cada vez mais através da internet, mas não se deixe levar pela facilidade dos cliques. Se tiver de contratar um crédito pessoal, analise várias propostas e faça muito bem as contas.
Muitos consumidores estão a receber mensagens de crédito pré-aprovado no telemóvel ou no e-mailO consumidor apenas tem de aceitar as condições, confirmar que leu a Ficha de Informação Normalizada (FIN) e o dinheiro fica disponibilizado na sua conta alguns dias depois.
O crédito online também tira partido das novas tecnologias, permitindo ao cliente contratar um financiamento sem ter de ir a uma agência. Está disponível em sites e apps de bancos e instituições financeiras. As entidades prometem celeridade em todo o processo, com aprovação imediata e taxas de juros mais baixas.
A atual disponibilidade dos bancos para facilitar crédito passa também pelo cash advance. Nesta operação, quem tem um cartão de crédito pode transferir uma parte ou a totalidade do saldo disponível para a conta à ordem. Mas esta não é uma operação inocente. Para disponibilizar o cash advance, os bancos cobram uma comissão entre € 3 a € 4 e ficam com uma percentagem entre 3% a 4% do valor transferido para além de suportar os juros do cartão, caso não pague o extrato na totalidade.

As tentações ao nível do crédito não se ficam por aqui. Vários estabelecimentos comerciais, juntamente com instituições financeiras, publicitam crédito para férias, carro novo, cartões de crédito ou financiamento para comprar a última versão de um televisor topo de gama.
Em todos os casos, tenha sempre em atenção que nem tudo são rosas. Antes de tomar uma decisão, analise aprofundadamente as condições de financiamento propostas e pondere muito bem sobre a sua capacidade financeira para cumprir o plano de pagamentos.
Para pedidos de apoio dirija-se à DECO (deco.norte@deco.pt) ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da Câmara Municipal de Alfândega da Fé ou de Macedo de Cavaleiros. A DECO dispõe de um protocolo de colaboração com estas Autarquias e presta apoio presencial nestes concelhos.

Edição
3696