A opinião de ...

Uma água de Maio e três de Abril valem por mil.

Se no passado mês de março os prognósticos a médio e longo prazo se cumpriram, o mesmo não se pode dizer das previsões para o arranque de abril, previa-se um arranque do novo mês dominado pelas altas pressões, contudo assistimos a uma mudança radical de padrão nos últimos dias, com trovoadas irregularmente repartidas pela nossa geografia nos primeiros dias desta semana, pela descida brusca das temperaturas que sentimos desde ontem e pelo regresso de alguma precipitação em forma de neve nas terras altas.
Por fim o anticiclone recuou e permitiu a aproximação de depressões atlânticas à Península Ibérica, colocando-se na região dos Açores e estendendo-se para norte, abrindo um corredor de ar polar com bastante recorrido marítimo, ou seja ar frio com muita humidade, uma situação clássica de inverno em pleno mês de abril, quando já não se esperava uma entrada polar deste tipo.
Nos meses de primavera as previsões são sempre muito difíceis de fazer, uma vez que são meses marcados pela variabilidade por excelência e nos próximos dias notaremos isso mesmo, não estará sempre a chover, mas poderão registar-se aguaceiros praticamente todos os dias, irregularmente repartidos por toda a região, as temperaturas continuarão a descer até amanhã e com elas a cota de neve, que poderá voltar a cair na região, em especial na zona de Corôa / Montesinho / Nogueira / Bornes, não se descarta alguma surpresa em especial entre hoje e amanhã com as cotas de neve a descer aos 600/900 metros, Bragança e Miranda do Douro deverão registar temperaturas dignas de um mês de inverno, oscilando entre 1ºC e os 6ºC, Mirandela entre os 3ºC e os 9ºC, Macedo de Cavaleiros entre os 1ºC e os 7ºC.
Durante os próximos dias, as madrugadas serão frias, com altas probabilidades de registo de geadas em muitos pontos da região, que podem ter consequências mais uma vez no mundo agrícola, nomeadamente em culturas como a vinha, a amêndoa, a fruticultura, etc.
E a seca? Felizmente, parece que poderemos ter por fim alguns dias com precipitação mais significativa, ajudará a repor alguma humidade nos solos, vamos esperar para ver se se confirma um período mais longo de precipitação, tudo dependerá da persistência deste novo padrão, precisamos que se mantenha durante muitos dias e com precipitação abundante para se poder falar em desagravamento da seca meteorológica.
Poderão acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3724