Igreja // Diocese

D. José Cordeiro pediu aos sacerdotes da Diocese para terem "um coração aberto"

Glória Lopes em Qui, 29/03/2018 - 14:26

O Bispo da Diocese de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, pediu esta quinta-feira, um “coração aberto” e um testemunho autêntico em união aos outros presbíteros, na homília da Missa crismal, celebração a que presidiu na Catedral de Bragança. "Todo o Presbítero é chamado a exercer a sua paternidade espiritual com um coração aberto e alargado, a rezar mais, a testemunhar autenticamente, a trabalhar melhor e a fazê-lo unido aos outros Presbíteros no nosso presbitério, para bem servir e amar o Povo Santo de Deus", destacou o prelado.Os presbíteros renovaram a promessa: «Quereis permanecer fiéis dispensadores dos mistérios de Deus na celebração eucarística e nas outras acções litúrgicas e desempenhar fielmente o ministério da pregação, como seguidores de Cristo, Cabeça e Pastor, sem ambicionar bens temporais, mas movidos unicamente pelo zelo das almas?», foi o desafio lançado pelo bispo diocesano. A eucaristia contou com a presença de cerca de 60 sacerdotes de toda a Diocese e do Bispo emérito, D. António Montes.
Nas celebração que prepara os óleos para os sacramentos do Crisma e Batismo, a realizar nas paróquias da Diocese ao longo do ano, D. José refletiu sobre a importância de propor a fé cristã às criança. "Hoje somos confrontados novamente com questões antigas e sempre actuais, acerca do Baptismo das Crianças: «é justo impor a uma criança uma religião, concretamente baptizar uma crianças na Igreja católica?; não devemos deixar a criança escolher?». Para o prelado estas perguntas demonstram "que já não vemos na fé cristã, a vida nova, a verdadeira e autêntica vida, mas é uma escolha entre outras. A vida é dom. A fé é dom maior. Alguém nos perguntou: «queres nascer ou não?» Como procedemos em relação à educação, à saúde, ao trabalho, ao desporto, às artes.... Onde está o nosso sentido de pertença a Cristo e à Igreja?", referiu.
Perante a assistência que encheu a catedral, com a presença de muitas crianças, jovens e doentes, D. José recordou as palavras do Papa emérito. "Bento XVI, sublinhou-o, ao afirmar: «tornar-se cristão, num certo sentido, é passivo: eu não me faço cristão, mas é Deus quem me faz um homem seu, é Deus quem me toma pela mão e realiza a minha vida numa nova dimensão(...)".
No final da celebração D. José Cordeiro ofereceu o livro-diário que retrata a visita da imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à diocese, «Peregrina na Diocese de Bragança-Miranda, Memórias da visita da Imagem Peregrina de Nossa senhora de Fátima – 12 a 26 de Julho de 2015 e 1 a 17 de Junho de 1949».