Nordeste Transmontano

Greve dos funcionários afeta escolas em todo o distrito

Publicado por António G. Rodrigues em Sex, 2019-03-22 10:44

A greve dos funcionários das escolas está a deixar esta sexta-feira algumas escolas fechadas no distrito de Bragança.

Na capital de distrito, a escola sede do Agrupamento Abade de Baçal encerrou, assim como o pólo escolar da Sé do Agrupamento Emídio Garcia. As portas não abriram e alguns pais ficaram indignados.

"Não estávamos a contar que a escola estivesse fechada. Viemos trazer os miúdos e deparámo-nos com este aparato. Estamos aqui todos à espera. Agora vou ter de ir trabalhar e vou levar o miúdo para a empresa. Vai lá estar o dia todo assim, sem fazer nada, a olhar para mim", disse Nuno Santos ao Mensageiro.

Já Ilídio Pires conta que "não sabia" da greve. "Acho que é muito mal feito, não terem avisado. Por acaso não me causa transtorno porque só trabalho à tarde e tenho a quem deixar os meninos. Mas imagine que não tinha, como fazia?", questiona.

Deste agrupamento, o jardim de infância de Santiago, apesar de aberto, não tem condições de funcionamento.

De acordo com João Rodrigues, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte, revelou ao Mensageiro que encerraram também as duas escolas de Macedo de Cavaleiros, as escolas sede dos agrupamentos de Carrazeda de Ansiães, Miranda do Douro e Vila Flor. Em Vinhais, o Agrupamento D. Afonso III também não tem condições de funcionamento devido à falta de funcionários.

 

Queixa na Inspeção Geral contra a escola de Mogadouro

 

Entretanto, João Rodrigues denuncia que no Agrupamento de Mogadouro se está a proceder "à substituição ilegal dos funcionários grevistas por professores e outros funcionários ao serviço, como já aconteceu noutra ocasião". "Vamos fazer seguir duas queixas para a Inspeção Geral de Educação a reportar esta situação", disse. A mesma denúncia foi corroborada ao Mensageiro por uma aluna do agrupamento mogadourense.

De acordo com o sindicato, a greve no distrito de Bragança ronda "os 60 por cento".