Nordeste Transmontano

JSD alerta para abandono precoce de estudantes por falta de habitação no distrito de Bragança

Publicado por AGR em Sex, 2018-10-19 10:41

A Juventude Social Democrata está preocupada com os efeitos da falta de oferta de habitação na região e denuncia “o abandono precoce de novos estudantes do Ensino Superior, Ensino Secundário e Ensino Profissional, no Distrito de Bragança”.
 
“É do conhecimento da JSD Distrital de Bragança que novos alunos do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) são forçados a procurar outros estabelecimentos de Ensino Superior ou a abandonar por completo os estudos por não conseguirem encontrar uma habitação”, lê-se, num comunicado daquela força política. Esta dificuldade e abandono precoce (no ato da matrícula) tem-se verificado “pelos elevadíssimos preços praticado pelos senhorios; pela escassa oferta de quartos/casas para arrendamento; pela inexistência/escassa oferta de quartos em residência estudantil (400 camas para bolseiros); pela oferta disponível não assegurar as condições mínimas de conforto; não assegurar as necessidades básicas de intimidade e privacidade individual”, referem ainda.
 
“Face aos problemas expostos, muitos alunos têm optado por abandonar o IPB, mais especificamente os polos de Bragança e Mirandela, pois o acesso à habitação e proteção especial, destinada à juventude, no acesso à habitação, não está a ser garantida”, alerta a JSD.
 
De acordo com a JSD, que cita “os dados mais recentes, recolhidos junto de alunos do IPB, novos alunos, senhorios, ofertas publicadas na comunicação social, redes sociais e ofertas afixadas junto das instituições de ensino superior”, o preço médio para arrendar um quarto ronda os 150€, em Bragança e Mirandela. No que toca ao arrendamento de uma casa, os preços médios para uma casa T1 rondam os 325€ e 275€, para Bragança e Mirandela, respetivamente, e para uma casa T2, os preços médios rondam os 450€ e 350€, para Bragança e Mirandela, respetivamente.
 
“No entanto, os alunos que são colocados na 2.ª e 3.ª fase encontram habitações com preços muito superiores, uma vez que os quartos mais acessíveis são ocupados pelos alunos de anos superiores e alunos colocados na 1.ª fase, chegando a terem que pagar 250€ e 200€ pelo arrendamento de um quarto, em Bragança e Mirandela, respetivamente”, apontam.
 
“Segundo os alunos do IPB, os preços têm registado uma trajetória crescente nos últimos 3/4 anos, devido ao crescente número de alunos no instituto e à consequente redução do número de quartos e casas disponíveis.
 
Graças à internacionalização, qualidade do ensino e produção científica e à abrangente oferta formativa - Cursos superiores e Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) – o IPB tem registado um crescimento anual no número de alunos inscritos [2018: 8000 (+ 500 que em 2017].