Desporto // Campeonato Nacional de Seniores

Só falta juntar os golos

David Vaz em Qui, 13/08/2015 - 11:26

Apesar dos resultados, Brigantinos voltaram a mostrar um futebol de qualidade. A equipa criou oportunidades e o amargo de boca surge apenas ao falar em golos.
A identidade do Bragança para a nova época parece estar definida e não deverá fugir muito à imagem do ano passado. Uma equipa coesa a defender, com três linhas bem definidas a pressionar alto (4-4-2), e que, para construir, privilegia a circulação de bola a toda a largura do terreno, integrando no processo ofensivo toda a equipa, do central até ao avançado (4-3-3). Até este ponto a máquina de André David parece estar afinada, mas ainda se mostra emperrada quando chega ao último terço do terreno. Ou seja, continuam a faltar os golos.
Sábado, contra o Sobrado, no Municipal de Bragança, foi assim. Num jogo intenso - talvez até demasiado por parte dos visitantes -, os da casa mostraram grande eficácia no processo defensivo. A atacar, o Bragança soube como criar oportunidades (Wellington foi o mais esclarecido dos reforços), mas não soube como concretizá-las.
Domingo, em Vila Real, mais do mesmo, mas com uma diferença. O cansaço da pré-época fez-se sentir, mais concretamente na defesa, onde Karaté, Rafa, Corunha e Tiago Oliveira se desdobram para conseguir cumprir o jogo inteiro. Gonçalo e Kanu estão lesionados, deixando André David sem soluções. “Sabíamos que ter apenas seis defesas no plantel era arriscado, mas temos de estar prontos para tudo”, relembra o técnico. Isto abre espaço para mais experiências, como a tentativa de adaptação de jogadores como o médio Nuno à lateral direita.
Contra o Vila Real, o Bragança cumpriu uma excelente primeira parte - a todos os níveis. Mas continuou a faltar o golo, apesar das inúmeras oportunidades criadas, com particular destaque para o penalti falhado por Joni.
Ou seja, o Bragança sabe como criar oportunidades, mantendo-se fiel à identidade que traz do final da época passada. A fórmula continua a mesma, sem grandes segredos, apenas com alguns executantes distintos. Wellington parece ser o mais desinibido, com a irreverência normal de um jovem que se quer mostrar. Tiago Oliveira acrescenta a segurança que faltava na época transacta à lateral direita. Adão já mostrou que sabe segurar bem a bola e que gosta de ajudar a equipa a construir e Lio demonstrou a qualidade do seu remate quando, contra o Sobrado, aos 65’, bateu um livre demasiado certeiro ao ângulo superior esquerdo da baliza (ver foto).
A partir dos 70’, em ambos os jogos, as inúmeras substituições acabaram por partir o encontro. O Bragança tentou manter a ideia de jogo, mas os problemas na finalização continuaram.