A opinião de ...

Valores para viver em sociedade: Opinião de futuros professores

O conceito de valor não é fácil de definir, pois admite múltiplas e diversificadas interpretações. Nesta reflexão será utilizado o conceito de valor próximo dos apresentados no dicionário de sinónimos da Porto Editora, traduzidos pelas expressões “qualidade que desperta admiração por alguém, valia, mérito, préstimo” e “(ética) preceito ou princípio moral passível de orientar a ação humana”. Assumindo para este conceito os termos referidos constata-se que em cada época e em cada sociedade a importância dos valores aceites e vivenciados é alterada, assim como há valores que se perdem e outros que se criam. No entanto, não me parece possível viver em sociedade sem valores.
Diariamente, constatamos que os valores são utilizados para caracterizar grupos culturais, sociedades e indivíduos, assim como as suas motivações, atitudes, comportamentos e prioridades.
São muitos os atos sociais que podem ser questionados e com consequências na vida das pessoas e nos seus valores. Destaco algumas situações que no mínimo merecem ser questionadas: situação das televisões que constantemente entram em casa das pessoas com permanente apelo ao jogo, desde os mais diversos concursos ao típico apelo às chamadas, tornando do país um autêntico casino generalizado; a ação de muitas individualidades com visibilidade mediática, quer na criação de partidos políticos quando perdem eleições, quer nos ataques aos líderes antes destes terminarem os seus mandatos para que foram democraticamente eleitos; as posições dos partidos relativamente à aprovação de cada Orçamento do Estado ao longo dos anos, mantendo sempre posições ambíguas em função das sondagens; a gestão bancária e o respeito pelos seus clientes; a verdade desportiva e as formas de acederem a essa verdade.
Tendo em conta as muitas incoerências que poem em causa muitos dos valores que parecem consolidados, um grupo de investigadores quis saber quais são os valores que os futuros professores defendem para viver em sociedade. Neste sentido, em 2017, questionaram 255 estudantes do ensino superior, futuros professores, de duas instituições, sendo uma portuguesa e outra espanhola, solicitando-lhes que escrevessem os valores que defendem para viver em sociedade. Os 255 estudantes referiram 863 expressões com valores, sendo identificados 51 valores distintos. As percentagens associadas aos valores identificados variaram de 0,1% a 23,5%, considerando-se que são mais representativos os que têm as percentagens mais elevadas de ocorrências. Os dez valores com percentagens mais elevadas foram: respeito, igualdade, liberdade, honestidade, solidariedade, amizade, responsabilidade, cooperação, empatia e justiça.
Seguem-se por ordem decrescente de percentagem outros valores, dos quais destacamos: companheirismo, sinceridade, amor, segurança, tolerância, humildade, confiança, paz, educação, compreensão, assertividade, família, fraternidade, lealdade, ajuda, civismo, generosidade, aceitação, amabilidade, convivência, harmonia, interajuda, coerência, diversidade, felicidade, flexibilidade, partilha, perdão e verdade.
A educação é essencial para se poder viver com harmonia e ter sucesso em qualquer sociedade. Os valores têm de ser permanentemente vividos e cultivados, cabendo aos professores um dos papeis principais. É interessante constatar que os futuros professores consideram valores muito relevantes para se poder viver em sociedade.
Talvez muitas das imprevisibilidades sobre o futuro, tendo em conta alguns lideres recentemente eleitos, de países de grande responsabilidade mundial, estejam relacionadas com a diminuta atenção que a Educação e os meios de comunicação social têm dado aos valores nos períodos em que tudo parece estar bem nas sociedades que integram.

Edição
3706