A opinião de ...

Quando não chove em Fevereiro, nem bom prado, nem bom palheiro.

Gostava de ter boas notícias para dar aos agricultores e criadores de gado da região, mas não tenho! Tudo parece indicar que o que tenho vindo a comentar nas últimas semanas irá mesmo concretizar-se e fevereiro será mais um mês muito seco em toda a região e com anomalias positivas significativas nas temperaturas.
Nos próximos dias o tempo continuará em geral estável e a falta de cobertura de nebulosa contribuirá para que tenhamos noites frescas, formação de geada em alguns locais e as habituais neblinas matinais. Já as tardes serão de primavera, com muito sol, vento variando do quadrante leste seco a quadrante norte e as temperaturas tendem a subir com o passar dos dias. Não se preveem mínimas negativas, variando entre os 1 e os 5 graus e as máximas podem facilmente chegar aos 20º graus em Bragança, Macedo de Cavaleiros e Miranda do Douro, aos 22 graus em Mirandela e aos 19 graus em Vinhais, temperaturas que nada têm a ver com um mês de fevereiro.
Toda esta bonança está, e continuará a contribuir para uma rápida floração das amendoeiras em especial na região do Douro, um espetáculo da natureza que enche a região de turistas nesta altura do ano. Nas restantes culturas, uma aceleração tão precoce da floração pode ter efeitos nefastos a prazo, no caso de surgir alguma geada tardia.
O IPMA confirma no seu relatório de 31 de janeiro, que todo o nordeste transmontano se encontra em situação de seca meteorológica, cenário que se agravou nas últimas semanas. Olhando os mapas a médio prazo, a tendência é para continuação de tempo seco e temperaturas acima da média pelo menos até dia 3 de março. No largo prazo as simulações também não são animadoras. O centro europeu IFS ECMWF prevê a continuação deste padrão pelo menos até ao final do mês de março, obviamente do mesmo modo que as previsões que apontavam para um fevereiro húmido falharam, esperemos que também estas falhem, precisamos que falhem!
No ano passado, por estas datas, a seca era mais grave, a situação apenas não foi mais delicada pois fomos de certa forma, “salvos” por uma primavera extremamente chuvosa, que permitiu à natureza uma certa recuperação e preparação para o longo e quente verão. Este ano além do inverno extremamente seco, os mapas insistem numa primavera igualmente seca, o que nos deve preocupar a todos.
Poderão acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3718