A opinião de ...

Se não chover entre março e abril, venderá El-rei o carro e o carril

Desenganem-se aqueles que pensam que os três dias de chuva da semana passada foram suficientes para minimizar os efeitos da seca, já grave, que afeta não apenas a nossa região, mas todo o país de norte a sul. Embora a situação não seja desesperante para aqueles que vivem das atividades do mundo rural, parece-me mais evidente que a situação se vai agravar nas próximas semanas. O modelo europeu ECMWF nas projeções de médio/longo prazo prevê pouca precipitação pelo menos até ao final de março.
A chuva da semana passada apenas serviu de paliativo a algumas culturas, como o centeio, que se mantinha com um crescimento reduzido por falta de água e que se vê agora a crescer com vontade em toda a região, e pouco mais, uma vez que a água pouco penetrou nos solos e os efeitos nos nascentes são nulos. Esta efémera bonança pouco durará sem mais chuvas e não se vê melhorias a prazo.
A primavera costuma ser a estação da instabilidade por excelência, devido à nossa posição geográfica estamos sistematicamente a meio da “batalha” entre as altas e baixas pressões, proporcionando normalmente muita variabilidade das condições meteorológicas contudo, nos próximos dias, não iremos assistir a grandes mudanças do estado do tempo uma vez que o anticiclone continuará a dominar o panorama meteorológico, garantindo a continuação de tempo em geral seco. O mais destacado será a descida das temperaturas mínimas com o provável regresso das geadas já a partir de hoje. As manhãs serão frias, com o mercúrio a posicionar-se próximo dos zeros graus em muitos pontos da região, em especial na Terra Fria, subindo ligeiramente no sábado para voltar a descer no domingo. Em relação às máximas também haverá muita variabilidade, durante o fim-de-semana voltarão a subir, com Mirandela no comando. Amanhã e sábado a princesa do Tua, pode voltar a registar 20ºC. Domingo também as máximas descem significativamente para voltarem a subir na 2ª feira. Assistiremos portanto a uma significativa amplitude térmica, ou seja, a uma diferença muito vincada entre as temperaturas registadas de manhã cedo e as do meio da tarde.
Durante os próximos dias a precipitação continuará ausente, apenas no domingo existe uma pequena probabilidade para alguns aguaceiros fracos pouco significativos, mais prováveis nas regiões montanhosas do extremo norte, uma previsão a confirmar na nossa página.
Poderão acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes, feliz semana!

Edição
3721