A opinião de ...

Creio na pessoa humana em advento

As palavras, de muito ouvidas, podem esvaziar-se de significado. Advento, por exemplo, o que era e o que significa hoje para os cristãos?
Etimologicamente vem do latim adventus e significa chegada. Era a chegada esperada ou solicitada de uma pessoa importante, normalmente o Imperador ou um seu representante.
Preparava-se com muita antecedência e cuidado para que através da visita saíssem dignificados tanto o visitante como os cidadãos visitados.
A Roma antiga adoptou práticas do advento grego (upántesis). Ocorria em dois momentos: occursus e introitus. O occursus era a ocorrência de boas-vindas. Acontecia fora de muros. Tanto mais longe da cidade quanto mais importante ou esperado fosse o visitante. Continuava no introitus ou entrada solene. Precedido pela procissão de dignatários que tinham ido esperá-lo, o visitante entrava com pompa pelas portas da cidade. Os jovens cantavam elogios imperiais e todos manifestavam alegria, agitando ramos de oliveira, palmas e louros, empunhando tochas e velas e queimando incenso.
Normalmente o personagem entrava a seguir no templo mais importante da cidade, onde presidia a um sacrifício de agradecimento. Este costume foi interrompido pelo Imperador Constantino, que recusou sacrificar em honra da Tríade Capitolina (Júpiter, Marte e Quirino).
Finalmente, num lugar público, fórum ou teatro, um retórico de fama proferia um panegírico em que exaltava o poder e a boa conduta do visitante em presença e o agrado dos cidadãos. Havia também permuta de compromissos. Em troca do bom acolhimento, aos cidadãos eram concedidas doações, isenções e até o perdão de dívidas fiscais. Frequentemente o imperador mandava também cunhar com a sua efígie uma moeda comemorativa do advento.
Importante era afirmar o poder do imperador e a centralidade política de Roma no Império. Era convencer os cidadãos de que deviam considerar o Imperador omnipresente em qualquer parte do Império. Pessoalmente, através de delegados ou apenas através das suas estátuas.
A Igreja oferece anualmente quatro semanas de Advento, do advento do único Imperador do universo e dos corações. Às pessoas individualmente e às comunidades, a liturgia sugere este grito de alma: “Vem, Senhor Jesus!”
O Advento que agora começa é mais uma oportunidade de dar a Jesus Cristo as boas-vindas fora e dentro de muros. O occursus acontecerá porventura numa das periferias mais esquecidas ou degradadas da própria vida ou da vida da comunidade. A finalidade é preparar ao Senhor o introitus solene e renovador de todos os corações neste Natal. A moeda comemorativa está cunhada há mais de 2000 anos. De um lado tem uma gruta e do outro uma cruz.

Edição
3707