Armando Fernandes

 

 

De tamancos…

Identificam-se muito mais os homens pelas suas volições do que com a sua verdadeira substância, por isso a minha incapacidade em perceber a substância motivadora dos abrasivos socos, pontapés e insultos protagonizados por uma escumalha juvenil contra jogadores de futebol na Academia (vejam a deturpação do sentido de Academia) do Sporting.


Identidades

Se perguntarmos ao ancião de Lagarelhos o que entende por identidade, o homem apesar de parco em letras de escrever acabará por se lembrar do Bilhete ou da Cédula que atestam as suas características e origens, o mesmo podemos plasmar relativamente às regiões, povos e países. Se metermos conversa com a velhinha de Quadrazais e lhe perguntarmos de onde nasceu logo se expande em consideração/informações não deixando de evocar os ancestrais contrabandistas e peculiar acento linguístico.


Um empreendedor

Nos primórdios ao ler a notícia da criação do Instituto Politécnico de Bragança ficou-me a ideia de ser uma extensão da Escola Superior de Educação de maior volumetria, de espaços circundantes mais largos e acima de tudo lugar de estacionamento de professores regressados das colónias em coabitação com os relegados das Universidades por terem esgotado o período destinado ao doutoramento. Depressa dissipei tal ideia.


Avaliações

A senhora Margarida Balseiro Lopes é deputada eleita numa lista do PSD. Desconheço o seu currículo, situação profissional e acção no desempenho do cargo. No entanto, o Expresso informa-me da sua pretensão a concorrer à liderança da JSD, na esteira de distintos e reputados especialistas em banalidades e reputados génios de bagatelas.


O Professor e o Pavão

Não gostei, nem esqueço a forma desastrada como Passos Coelho governou o País, muitas centenas de milhares de portugueses também não, por isso mesmo Rui Rio tem a árdua tarefa de convencer os desavindos e os outros que Passos passou levando em sua companhia Maria Luís, ainda o grupo de assessores envernizados leitores de The Economist desconhecedores do País real, por isso a sua calamitosa acção.