José Mário Leite

OS ABUTRES E OS FALCÕES

Voam alto e em círculos. Podem, ao longe, ser confundidos com falcões. Não são. Os falcões são animais nobres que recusam a necrofagia. Ao contrário dos abutres que quando aparecem a pairar, são indicadores de mau presságio. “Há morte por aí. Já anda um abutre às voltas lá em cima”. Atrás desse vem outro. Outros mais se lhes juntam em voo cada vez mais apertado e mais próximo do solo. Num ápice,  aos saltos, entreolhando-se, vigiando-se mutuamente, espreitam a melhor altura para cravar as garras e rasgar as carnes mortas e inanimadas com o forte bico adunco.


Janelas

De repente, sem mais, só porque lhe apetece, certo dia um brigantino sai da Sá Carneiro, passa pela Praça Cavaleiro Ferreira, saúda o carteiro imortalizado no bronze ao cimo da rua Cinco de Outubro, desce a Almirante Reis, passa ao lado do Solar Bragançano, acena a uns amigos sentados na esplanada do Flórida, contorna o Cruzeiro, evita algumas beatas que se esgueiram para dentro da Sé, caminha confiante para o Chave d’Ouro e pára de repente, mesmo em frente à sua fachada arredondada, e verifica que ao lado da porta que dá para a rua Direita, está agora uma janela saliente com portadas de ma


NAS MÃOS DELAS

O novo governo francês tem uma composição absolutamente paritária. É sem dúvida um passo gigantesco na igualdade de género embora nenhum dos postos de topo tenha sido entregue a uma mulher. Muito longe da tradição liceal brigantina que já antes do 25 de abril fazia eleger uma Direção Académica em condições absolutamente iguais, no que toca ao género, pois se havia um Presidente, um Vice-Presidente, um Tesoureiro e um Secretário, havia igualmente uma Presidente, uma Vice, uma Tesoureira e uma Secretária em igualdade de situações, poderes e representatividade.


AVÉ MARIA

Quando Inês Veloso entoou as primeiras notas do Think of me do Fantasma da Ópera os rostos petrificados de uma espécie de gárgulas internas que vigiam o interior da Domus Municipalis de Bragança, ficaram estáticos e espantados. Foi contudo a Ave Maria do compositor austríaco Franz Schubert que definitivamente agarrou a assistência para os Conselhos Raianos que o gélido vento nordestino teimava em fazer desmobilizar com fortes rajadas que se infiltraram nas abundantes janelas pétreas.


OS CARROSSÉIS DA SENHORA DA ASSUNÇÃO

Todos os anos, pelo dia 15 de agosto tem lugar, no Cabeço de Vilas Boas, a festa da Senhora da Assunção, a maior romaria transmontana. A sua procissão transporta o imponente andor da Virgem, desde a aldeia até ao cimo do monte, à frente de grande cortejo acompanhada por vários outros andores, várias representações de cenas bíblicas e evocação de santos e presidida pelos reverendos membros do clero regional. Igualmente famoso é o arraial onde pontuam o exuberante fogo de artifício e os variados carrosséis que ali se instalam durante todo o dia e noite fora.


ANAM

No dia 25 de março de 2017 reuniram-se em Lisboa nas instalações da Assembleia Municipal, algumas dezenas de Presidentes de Assembleia, vindos da variadas localidades desde o norte ao sul, passando pela ilha da Madeira. Era o culminar de um trabalho iniciado já há muito tempo em Mirandela pelo José Manuel Pavão que teve, desde sempre, o apoio e colaboração especial e especializada do Professor Cândido de Oliveira da Universidade do Minho. Foram todos testemunhas privilegiadas da formalização e institucionalização da ANAM – Associação Nacional de Assembleias Municipais.