José Mário Leite

ALBERT EINSTEIN e CARLOS FIOLHAIS

Carlos Fiolhais é um dos maiores cientistas portugueses (é o cientista português mais citado), um excecional divulgador de ciência e, igualmente, um homem afável de trato fácil e um enorme sentido de humor. Tive o privilégio de falar com ele sobre um dos grandes poetas contemporâneos, António Gedeão que ambos admiramos e da sua “obra póstuma” publicada, curiosamente, em vida do autor. A conversa descontraída, no pátio de entrada do Instituto Gulbenkian de Ciência terminou com o investigador a falar longamente sobre física e, sobretudo, de Albert Einstein.


António (de novo)

A revista Visão trouxe, num dos seus últimos números, um artigo sobre as obras na praia D. Ana em Lagos. Veio-me à memória, de imediato, a minha primeira crónica em Fevreiro de 2007 sobre trabalhos idênticos a estes, na praia da Costa da Caparica apoiadas por ambientalistas que se opunham ao início da construção da Barragem do Baixo Sabor. A comparação é inevitável. Embora com cores ainda mais carregadas, embora com resultados confirmados sobre o que em fevereiro de 2007 eram apenas suposições embora com enorme dose de previsibilidade, da minha parte, que o tempo acabou por confirmar.


AGOSTO NORDESTINO EM CARCAVELOS OUTONAL

São mais de meia centena de histórias, lendas, ditos e relatos curtos que me chegam pela pena talentosa da moncorvense Júlia Guarda Ribeiro que o editor e amigo António Batista Lopes reuniu e editou com a chancela da Âncora Editora num volume sob o título de “Contos no Terreiro ao Luar de Agosto”. Trata-se de uma fabulosa coleção de contos curtos (duas a quatro páginas na sua maiora) ouvidas pela autora nas cálidas noites de Agosto, às velhas que se juntavam no bairro da Corredoura para partilharem memórias, ditos, saberes e experiências.