José Alegre Mesquita

O rio que chora

Era uma vez um rio que entoava cantigas da minha terra ao sabor das estações. No estio, canções de embalar, no longo inverno, canções de assustar.
Ele morava num vale encantado… um mar de pedras e penedos, com precipícios e lugares mágicos, palco perfeito a quem as queria escutar.
E o que eram e de onde vinham estas melodias que ecoavam pelo vale encantado?

Meu Menino Jesus:

Prefiro dirigir-me a Ti, menino e pobre, conquanto nos tempos atuais, todos escrevam ao Pai Natal, que era um bispo turco, de nome Nicolau, senhor de barbas, simpático e bonacheirão, que passou a ser rico e bem-sucedido, dono de uma grande fábrica de brinquedos, com um complexo e organizado sistema de transportes e, por isso, mais conforme ao espírito de hoje de tudo querer "ter", em vez de querer ser".
 

Leite e fruta nas escolas

Na tentativa de fazer face a graves deficiências nutritivas das nossas crianças, o Ministério da Educação Nacional iniciou em 1971 um programa de alimentação (Suplemento Alimentar) em quatro zonas do país, entre elas o distrito de Bragança, que “consistia na distribuição de uma sopa de feijão, peixe, ovos, fruta e leite”). Em 1974 assistiu-se ao alargamento deste programa a outras regiões do país, embora só se tenha desenvolvido efetivamente em 1975.

A queima do gato

Todos os transmontanos e os durienses aprendem a viver e a conviver com todo o tipo de bichos desde os primeiros momentos da vida: Ainda no berço temos a companhia dos cães e dos gatos que se postam aos pés do menino e vigiam a sua segurança. Logo que de forma autónoma nos locomovamos desatamos a gatinhar atrás das galinhas e outros rabos da capoeira à procura de companheiros de brincadeira. Aos primeiros passos, espreitamos os grilos nos lameiros e a curiosidade faz-nos subir à copa das árvores para descobrir os ninhos.