Pe. José Luís Pombal

De novo no exílio

Faleceu no dia 14 de março o cardeal belga Godfried Danneels, arcebispo emérito de Mechlen-Bruxelas. Talvez não seja muito conhecido na nossa região. Eu tive a sorte de ler, já há uns anos, um texto dele sobre a Eucaristia. A partir daí com facilidade o recordava nos domingos das nossas aldeias, devido ao som dos sinos. Danneels dizia que a Missa começa com o toque do sino. Estabelecia assim uma comparação entre o som que se propaga do campanário com a voz de Deus que convida para a Eucaristia.


Riqueza da conversão

A educação em Portugal tem estado ultimamente em debate, sobretudo no que respeita ao ensino superior e à utilidade ou inconveniência das propinas para os estudantes universitários. Intimamente entrelaçados com esta discussão estão os temas do alojamento e do apoio social. De modo particular chamou-me à atenção a importância do apoio social no suporte de uma formação superior.


Sede Presidencial

A sede presidencial da igreja de Pombares tem nela gravada uma cruz. Melhor, está envolvida pelo laço da cruz. Uma cruz dourada que assinala a Quem pertence a presidência: Àquele que preside com o coração rasgado donde brota a vida. Sim… a presidência pertence a Cristo. É Ele que preside às comunidades cristãs. É Ele o único e eterno Mediador entre o Pai e a humanidade. Por isso, quando o sacerdote assume o lugar da presidência, fá-lo somente nas vezes de Cristo. Nas celebrações litúrgicas isto é claríssimo.


Ambão II

O altar de Pombares sobre o qual já se escreveu em passados artigos realça, por meio dum rasgo lateral na parte direita, que «foi do lado de Cristo adormecido na cruz que nasceu o sacramento admirável de toda a Igreja» (SC 5). É desse lado que sai uma corrente capaz de fazer compreender a Palavra escutada na assembleia litúrgica e capaz de sustentar os diferentes ministérios assumidos na comunidade cristã. Por isso, de alguma forma se quis marcar o ambão e a sede da presidência de Pombares com os sinais dessa corrente. O material comum a todos estes lugares litúrgicos é o granito.


Altar (2)

A adesão de cada batizado a Cristo é integral e exclusiva. Assim se entende o motivo pelo qual os primeiros cristãos foram perseguidos e a razão pela qual procuravam distinguir-se tanto dos judeus como dos pagãos. É certo que, como nos regista a Carta a Diogneto (séc. II), «os cristãos não se distinguem dos demais homens, nem pela pátria, nem pela língua, nem pelos costumes […] seguem os costumes da terra [onde vivem], quer no modo de vestir, quer nos alimentos que tomam, quer em outros usos; mas a sua maneira de viver é sempre admirável e passa aos olhos de todos por um prodígio».


Espaço litúrgico

Há já uns tempos que tenho uma dívida para com a boa gente de Pombares. Saldá-la por aqui não estava nos meus planos. Porém, por que não? A reforma litúrgica teve no Vaticano II um vértice e uma fonte. Vértice de um longo caminho preparatório, iniciado no século XIX na abadia francesa de Solesmes e assumido nos inícios do século XX nos movimentos juvenis alemães; Fonte de um programa de necessárias adaptações, inclusive no espaço litúrgico, uma vez constituídas as reformas da Sacrosantum Concilium.