Nordeste Transmontano

Crise nos combustíveis deixa férias da Páscoa em risco pela demora na reposição da normalidade

Publicado por AGR/GL em Qui, 2019-04-18 09:54

A crise gerada pela greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas, que hoje terminou, está a ameaçar estragar as férias da Páscoa a muitos transmontanos.
Vários postos de abastecimento de combustível da região já tinham esgotado as suas reservas de gasóleo e, alguns, estão mesmo a fazer o racionamento dos abastecimentos, permitindo apenas 20 euros por cliente, outros permitiam o abastecimento apenas aos bombeiros e forças de segurança.
Hernâni Dias, presidente da Câmara de Bragança, garantia esta quarta-feira que o município tem reservas para mais de uma semana para os autocarros e máquinas mas teme os efeitos que a greve possa vir a ter no turismo nesta época festiva.
“Não sabemos quais as consequências. Temos, no entanto, a particularidade de estarmos próximos de Espanha o que pode ser um fator positivo, uma vez que facilmente podemos aceder ao combustível do outro lado da fronteira. Nesta altura vêm mais turistas espanhóis e esperemos que tragam já combustível para o regresso a casa”, referiu Hernâni Dias.
A maior afluência de turistas à região por alturas da Páscoa pode acabar por levantar mais problemas nos postos locais, por terem maior procura.
Ao longo dos últimos dois dias, eram várias as filas em alguns dos postos de abastecimento da região.
Henrique Marçal, empresário do setor, estimava um aumento de procura “na ordem dos 50 por cento” nos últimos dois dias.
O empresário brigantino teme que a situação ponha em causa as deslocações da Páscoa. “Como estamos longe dos grandes centros e não há aqui postos próprios das marcas, a reposição dos stocks vai demorar mais tempo. Por isso, a Páscoa está em risco”, adverte, “sobretudo no que ao gasóleo diz respeito”.