A opinião de ...

“O maio me molha, o maio me enxuga”

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) elaborado pelo IPMA, a 30 de abril verificou-se uma diminuição da área em seca meteorológica e da sua intensidade, o valor médio da quantidade de precipitação foi superior ao valor normal e corresponde a cerca de 140% do valor medio mensal, foi o 5.º abril mais chuvoso desde 2000.

Também ajudou a mitigar a seca na nossa região, o facto de as temperaturas terem sido mais baixas que o habitual para o período, segundo o IPMA, o valor médio da temperatura média do ar foi inferior ao normal, sendo o 4.º valor mais baixo desde 2000, o valor médio da temperatura mínima do ar foi inferior ao normal, sendo o 3.º valor mais baixo desde 2000, o valor médio da temperatura máxima do ar foi próximo do valor normal, no entanto também foi um dos valores baixos dos últimos 20 anos. A mesma fonte refere também que o valor médio da temperatura mínima do ar foi inferior ao normal, sendo o 3.º valor mais baixo desde 2000, o valor médio da temperatura máxima do ar foi próximo do valor normal, no entanto também foi um dos valores baixos dos últimos 20 anos.

A precipitação acima da média de abril também se fez notar nas nossas albufeiras, a bacia do Douro registou, segundo o boletim de armazenamento nas albufeiras do sistema nacional de informação de recursos hídricos, um aumento significativo de volume armazenado, para 70.5%, ainda assim abaixo da média para abril que é de 73.7%, nas barragens a situação é muito positiva, Alijó e Serrada estão a 100% e o Azibo a 92.2%.

A chuva que caiu nos últimos dias, ainda cai e cairá até amanhã está a ser muito bem recebida, em especial pelos nossos agricultores, conscientes que a “torneira” estará prestes a fechar-se para entrarmos por fim, no longo período estival, que se prevê muito quente e seco.

Findo este pequeno período de precipitação e temperaturas frescas, vamos ao que tudo indica registar o primeiro evento de calor da temporada, com a “dorsal africana” a subir de latitude e a transportar ar quente e seco com origem no norte de África para a Península Ibérica, a subida das temperaturas será notável, tanto das mínimas como das máximas, durante as madrugadas dificilmente se baixará dos 10ºC e as máximas vão disparar-se para valores próprios de meses de Verão, com máximas em torno aos 25ºC / 30ºC na maior parte da região, podendo superar os 30ºC em Mirandela, nos vales da Vilariça, Douro e Côa.

Poderão acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3729