A opinião de ...

Meteo Trás-os-Montes

Dou a boas vindas a todos os leitores ao novo espaço do MDB onde abordaremos de um modo simples e próximo a informação meteorológica e climatológica que é importante para si.

Tempo outonal e húmido, mas o cenário de seca persiste no Nordeste Transmontano:

Segundo o ultimo relatório do IPMA (setembro 2018), a nossa região encontrava-se na sua totalidade em seca fraca, situação que a pouca chuva que caiu desde o final de setembro até ao momento não reverteu. É necessária mais precipitação nas próximas semanas para reposição dos níveis freáticos que alimentam os nossos rios. Bragança terá de registar cerca de 86mm de precipitação durante todo o mês de novembro para atingir a média da normal climatológica da cidade (1971-2000), que tudo parece indicar será superada.

Cenário provável de 8 /14 de novembro:

O modelo Europeu ECMWF, “vê” o anticiclone dos Açores a assumir a posição clássica de inverno, permitindo a chegada à região de várias frentes atlânticas, associadas a depressões que se localizarão em latitudes mais a norte, junto às Ilhas Britânicas.
Assim, na próxima semana, a tendência é para tempo em linha com o esperado para a época do ano. Ou seja, o cenário mais provável é de tempo instável, com chuva em toda a região, em especial nas zonas montanhosas do Parque Natural de Montesinho, alternando com dias de situação pós-frontais com aguaceiros, temperaturas mais baixas e neve nas terras altas, podendo descer a cota pontualmente aos 1100 metros (no domingo, dia 8).
As temperaturas também estarão em linha com o esperado para novembro, as mínimas esperadas irão variar provavelmente entre os 2ºC e os 7ºC em Bragança, entre os 4ºC e 12ºC em Mirandela, os 3ºC e os 11ºC em Miranda do Douro, um pouco mais altas no vale da Vilariça. As máximas deverão ser mais uniformes, pontualmente mais elevadas em Mirandela, no vales do Tua, Douro inferior, Sabor, bem como na Vilariça, as máximas irão variar em geral entre os 8 e os 13ºC.
Em relação à situação das albufeiras da região, a bacia hidrográfica do Douro encontra-se a quase dois terços (63.3%) da sua capacidade. A albufeira da Serra Serrada, em Montesinho, que abastece a cidade de Bragança, encontra-se a meio (50.5%) da sua capacidade, com uma descida acentuada desde junho, que deverá estabilizar neste período.
O Azibo, em Macedo de Cavaleiros, está um pouco melhor com 81.2%, segundo dados do SNIRH (setembro).

Poderão acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook do Meteo Trás-os-Montes e na próxima semana nova atualização aqui no seu jornal.

Edição
3704