Abílio Lousada

9 de maio – Dia da Europa

Celebrada desde 1986, a data reporta a 1950, quando Robert Schuman, ministro francês das Relações Exteriores, propôs a criação de uma entidade europeia que congregasse vontades orientadas para garantir paz perpétua ao «Velho Continente». Estava-se no «rescaldo» da II Guerra Mundial, o mais generalizado e mortífero conflito da história da humanidade, e na antecâmara da «Cortina de Ferro» soviética, que dividiria a Europa nos antagónicos Blocos de Leste e do Ocidente. Depois, o político francês Jean Monnet deu continuidade à ideia e assumiu a ambição de conciliação franco-alemã.


Da Revolta Militar do MFA: Causas e Motivações!

m 25 de abril de 1974, uma revolta militar planeada e executada exclusivamente por militares das Forças Armadas, na sua maioria capitães do Exército, derrubou em 24 horas o regime de 41 anos do Estado Novo e colocou termo à guerra que lavrava na África Portuguesa há 15 anos. A adesão dos civis ocorreu de forma espontânea, durante o desenrolar dos acontecimentos, contribuindo para o seu sucesso.


Salgueiro Maia – O Eterno Capitão de Abril!

Ícone da revolta militar que depôs o regime do Estado Novo, foi oficial de Cavalaria formado na Academia Militar e combatente da Guerra de África, no teatro de operações de Moçambique (1967-69) e da Guiné (1971-73). Se na primeira missão vinca a assertividade da arte de bem comandar, na seguinte sente o desencanto com a questão ultramarina. Em dezembro de 1973, colocado na Escola Prática de Cavalaria (EPC), em Santarém, envolve-se no «Movimento dos Capitães», depois das Forças Armadas (MFA).


Platinum Regina

Entronizada a 6 de fevereiro de 1952 e com a popularidade intocável aos 95 anos de idade, Elisabeth II celebra as Bodas de Platina dos 70 anos de reinado, sendo a soberana britânica com mais tempo de permanência no trono. De facto, ultrapassou a longevidade régia da trisavó rainha Vitória (1837-1901), designada à época como a avó da Europa e figura marcante do século XIX – o século do poder mundial anglo-saxónico.


A Agonia da Monarquia

Num certo dia de 1907, o rei D. Carlos desabafava com o tenente-coronel José Lobo de Vasconcelos: «julgas que ignoro o perigo em que ando? No estado de excitação em que andam os ânimos, qualquer dia matam-me à esquina de uma rua. Se me metesse em casa que pensariam os cidadãos e que ideia fariam de mim os estrangeiros? Assim, mostro que há sossego no País e que têm respeito pela minha pessoa»!


Assinaturas MDB