Mário Lisboa

Ao que isto chegou!!

Todos os dias pela manhã os jornais diários apresentam broncas, ou sejam problemas em que a corrupção aparece como título aos mais variados níveis.
Todos os anos infelizmente, temos o problema dos incêndios que aparecem na sua plenitude nos meses de Maio e vão até Outubro ou Novembro. Nunca em Portugal existiram tantos meios de combate aos incêndios rurais sendo difícil devido ao número de agentes envolvidos neste combate. No entanto, de ano para ano não se veem melhorias significativas. Ouvem-se sim promessas e mais promessas mas os resultados são poucos ou nenhuns.


De quando em vez… No meu tempo era assim

Nos anos 50 a vida de um jovem que frequentava o Liceu Camilo Castelo Branco, começava nesta escola às 8 horas da manhã.
Levantava-se da cama à 7:30 da manhã e, na minha casa, situada na Rua dos Vasos, que começava no Largo do Cano, talvez porque nas sacadas havia esses recipientes com flores até ao fim da rua. O cheiro das plantas era a alegria das senhoras que as alimentavam não só com água mas também com os seus sorrisos abertos e felizes. Eram assim os residentes na Rua dos Vasos que continuaram ao longo dos anos a manter o mesmo estatuto de vivência.


De quando em vez… Recordando Antero de Quental e a sua permanente actualidade.

Se Antero de Quental voltasse ao nosso convívio iria suicidar-se uma segunda vez, porque não se iria entender com o Portugal contemporâneo.
Assim, no presente, temos em Portugal o sistema que, colectivamente fomos capazes de gerar, para o melhor e o pior, este é o país que fizemos, esta é a sociedade que construímos. Os partidos políticos e os seus líderes que temos, foram criados à nossa imagem e semelhança. Fomos nós que os concebemos, somos nós que os sustentamos,


O Aeródromo de Vila Real e os ciclos da sua funcionalidade

No início dos anos 80, sendo presidente da Câmara de Vila Real, Dr, Armando Moreira, o Aeródromo da nossa terra começou a ter alguma visibilidade pelo interesse demonstrado com as carreiras da TAP Regional, as quais começaram a ligar as cidades de Bragança, Vila Real e Viseu até Lisboa, criando nos Vila-Realenses expectativas quanto à utilidade do nosso Aeródromo, face à sua utilização em termos comerciais.


Os incêndios sistemáticos de verão e outros problemas ainda sem solução.

omo vem sendo infelizmente hábito, passado o verão, com pouca ou quase nenhuma pluviosidade, temos outra vez a “saga dos incêndios” que juntamente com a “pandemia”, vêm desanimar aqueles que nesta altura costumam fazer férias longe da balbúrdia das grandes cidades.
Neste mês de Novembro, ainda em curso, quando escrevemos estas nossas opiniões, como é o caso dos incêndios, que já devastaram não só as florestas mas também fábricas, casas de idosos, quintas e o que mais adiante se verá.


O Aeroporto Sá Carneiro mais um

O Aeroporto Sá Carneiro tem um desenvolvimento muito crescente no movimento do trafego aéreo e em todo o mundo, também o nosso país acompanha esta evolução.
Neste contexto, o aeroporto Sá Carneiro, funciona como uma parte de chegada e partida de todos aqueles, que demandam o Norte do país por via aérea.
É francamente positiva a imagem do Aeroporto Sá Carneiro a nível de tráfego aéreo na Europa. Tem sido considerado nos últimos anos, o 2º melhor aeroporto, na complexidade do movimento aeronáutico, no continente europeu, como acima referimos.


Assinaturas MDB