Mário Lisboa

Os incêndios sistemáticos de verão e outros problemas ainda sem solução.

omo vem sendo infelizmente hábito, passado o verão, com pouca ou quase nenhuma pluviosidade, temos outra vez a “saga dos incêndios” que juntamente com a “pandemia”, vêm desanimar aqueles que nesta altura costumam fazer férias longe da balbúrdia das grandes cidades.
Neste mês de Novembro, ainda em curso, quando escrevemos estas nossas opiniões, como é o caso dos incêndios, que já devastaram não só as florestas mas também fábricas, casas de idosos, quintas e o que mais adiante se verá.


O Aeroporto Sá Carneiro mais um

O Aeroporto Sá Carneiro tem um desenvolvimento muito crescente no movimento do trafego aéreo e em todo o mundo, também o nosso país acompanha esta evolução.
Neste contexto, o aeroporto Sá Carneiro, funciona como uma parte de chegada e partida de todos aqueles, que demandam o Norte do país por via aérea.
É francamente positiva a imagem do Aeroporto Sá Carneiro a nível de tráfego aéreo na Europa. Tem sido considerado nos últimos anos, o 2º melhor aeroporto, na complexidade do movimento aeronáutico, no continente europeu, como acima referimos.


De quando em vez…. Este mundo em que vivemos…

Um dos grandes problemas da vivência atual, é que, muitas pessoas estão convencidas, ainda que mal preparadas, que alguma cultura livresca e até alguma erudição que não é suficiente para ser competente.
Os seus conhecimentos não contemplam a reflexão e/ou a meditação.
A sua incompetência cega-as, ao ponto de não reconhecerem, em nenhuma circunstância, os seus próprios erros. São intolerantes para quem está abaixo de si e lambe botas para quem se encontra acima.


De quando em vez…. Sobrevivendo à quarentena ……

É no momento da desgraça que a gente se habitua à verdade, quer dizer, ao silêncio”
“Albert Camus in a Peste”
O mundo todo está com os olhos postos no Covid-19. O vírus, que alastra por todas as latitudes, toca-nos profundamente, desde os mais conscientes e informados, aos que se preocupam com o seu bem estar momentâneo. As probabilidades do seu crescimento, e dai a necessidade de nos mantermos distantes e, optar por medidas de precaução, a quem aproveita os dias de afastamento do mundo laboral para, inconscientemente, ir até à praia.


De quando em vez…. Patriotismo e Solidariedade precisam-se

Quem disse que o sentimento de pertença a um local era impróprio nos dias de hoje?
É esta a pergunta que trago comigo sempre que vou a Vila Real, a minha terra. Aqui chegado recebo a amizade dos meus conterrâneos e naturalmente os mimos da minha família, aqui residentes.
Neste contexto, a geração dos meus filhos, debatem-se em dois grupos distintos: os afortunados que receberam educação nas universidades e os menos felizes que por várias razões não puderam ou quiseram receber a mesma educação.


De quando em vez…. Quais as razões válidas para o fecho das linhas férreas do Tâmega, Corgo, Tua e Sabor

Quem, está minimamente informado com o que se passa na região de Trás-os-Montes, tira rapidamente as seguintes conclusões relativamente à mobilidade ferroviária:
No dia 1 de Abril de 1906 fez precisamente 100 anos que Vila Real pela primeira vez, com o alvoroço que se adivinha o apito de uma locomotiva.
Era uma sensação nova para os vila-realenses.
Claro que, com o passar dos anos, o som tornou-se muito rotineiro e entrou de uma vez por todas, no quotidiano “vila-realense” e nele ganhou lugar cativo.


De quando em vez...

As insfra-estruturas aeronáuticas em Trás-os-Montes no plano de Desenvolvimento da Região a todos os níveis os Aeródromos da “Região Transmontana” são todos municipais.
Como tal à responsabilidades das respectivas autarquias onde estão inseridos.
Nesta ultimas duas décadas, estas infraestruturas, tem sido melhoradas graças ao bairrismo dos residentes e também, de outras entidades ligadas ao “meio aeronáutico Nacional” no sentido de tornarem-se mais operativos em termos de “ Aviação em Geral”.


De quando em vez

Os C.T.T. e o serviço que deveriam prestar …
A concessão de “serviços públicos", é uma maneira perfeitamente legitima de assegurar a equidade e igualdade entre os cidadãos, desde que o Estado seja o regulador e o fiscalizador desses Serviços.
Os jornais e outra “Comunicação Social”, nos últimos dias de Janeiro de 2019, referiam que entre 2017 e 2018, fecharam 33 estações dos C.T.T´s em todo o País, deixando 33 concelhos sem estação mas com um "Posto de Correios", equivalente teoricamente às estações.