Márcio Santos

Meteo Trás-os-Montes

“Mês de Maio, mês das flores, mês de Maria, mês dos amores

Hoje acaba Abril, foi um mês recheado de interesse no que toca a fenómenos meteorológicos na nossa região, com a típica instabilidade que fez jus ao ditado, abril, águas mil. Embora ainda não tenha acesso aos dados fechados para este período, podemos oficialmente catalogar abril, como um mês muito húmido, senão vejamos os dados até à presente data (27.04.2020):


“Abril frio e molhado, enche o celeiro e farta o gado.

As chuvas registadas no mês passado e segundo o IPMA, mantiveram a nossa região longe de um cenário de seca meteorológica, ao nível geral, “o valor médio da quantidade de precipitação em março, 71.9 mm, correspondeu a 118 % do valor normal 1971-2000, os valores de precipitação foram superiores ao normal em grande parte do território, destacando-se as regiões a norte de Coimbra, onde os valores de percentagem excederam os 150%.” Em relação aos índices de humidade nos solos, “verificou-se, em relação ao final de fevereiro uma ligeira diminuição dos valores de percentagem de água no solo nas r


“A água que no Verão há-de regar, em Abril e Maio há-de ficar.”

Março já lá vai e terminou de modo a fazer corar de vergonha os meses invernais, que de inverno tiveram pouco.  A tão aguardada neve chegou, tarde, mas chegou, ao contrário do habitual, foram os concelhos mais a sul e leste do distrito, que registaram neve em abundância, enquanto na capital, em Bragança, apenas caíram alguns, tímidos flocos.


Fevereiro 2020 histórico, o mais quente desde que há registos na Europa e em Portugal

Foram divulgados vários relatórios por entidades oficiais como o Copernicus Climate Change Service (C3S), o programa da União Europeia para observação das mudanças climáticas, que anunciou que a Europa acaba de vivenciar o inverno mais quente desde que começaram os registos meteorológicos, em 1855. A temperatura média no continente entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020 (inverno meteorológico) foi 3,4 ºC mais alta do que a média registada no período entre 1981 e 2010, e também 1,4 ºC acima do anterior inverno mais quente já registado, o de 2015/16.