Márcio Santos

Meteo Trás-os-Montes

“Abril frio e molhado, enche o celeiro e farta o gado.

As chuvas registadas no mês passado e segundo o IPMA, mantiveram a nossa região longe de um cenário de seca meteorológica, ao nível geral, “o valor médio da quantidade de precipitação em março, 71.9 mm, correspondeu a 118 % do valor normal 1971-2000, os valores de precipitação foram superiores ao normal em grande parte do território, destacando-se as regiões a norte de Coimbra, onde os valores de percentagem excederam os 150%.” Em relação aos índices de humidade nos solos, “verificou-se, em relação ao final de fevereiro uma ligeira diminuição dos valores de percentagem de água no solo nas r


“A água que no Verão há-de regar, em Abril e Maio há-de ficar.”

Março já lá vai e terminou de modo a fazer corar de vergonha os meses invernais, que de inverno tiveram pouco.  A tão aguardada neve chegou, tarde, mas chegou, ao contrário do habitual, foram os concelhos mais a sul e leste do distrito, que registaram neve em abundância, enquanto na capital, em Bragança, apenas caíram alguns, tímidos flocos.


Fevereiro 2020 histórico, o mais quente desde que há registos na Europa e em Portugal

Foram divulgados vários relatórios por entidades oficiais como o Copernicus Climate Change Service (C3S), o programa da União Europeia para observação das mudanças climáticas, que anunciou que a Europa acaba de vivenciar o inverno mais quente desde que começaram os registos meteorológicos, em 1855. A temperatura média no continente entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020 (inverno meteorológico) foi 3,4 ºC mais alta do que a média registada no período entre 1981 e 2010, e também 1,4 ºC acima do anterior inverno mais quente já registado, o de 2015/16.


“Em Março, o pão com o mato, a noite com o dia e o Pedro com a Maria.”

Ainda teremos de esperar mais uns dias pelo relatório mensal do IPMA referente ao passado mês de fevereiro, documento que deverá corroborar a informação que vos tenho vindo a oferecer, indicando um mês com temperaturas francamente acima da média e precipitação muito escassa, catalogando o mês como muito seco em toda a região.


“Carnaval na eira, Páscoa à lareira”.

As previsões indicavam que fevereiro seria um mês seco e quente, dominado pela persistência do anticiclone e assim está a ser.
Nos últimos dias assistimos a um fortalecimento das altas pressões que nos garantiu o regresso da estabilidade, com descida das temperaturas mínimas, o reaparecimento dos nevoeiros e das geadas em alguns locais, também notamos uma subida das temperaturas máximas, que se acentuou a partir de ontem.


“A fevereiro e ao rapaz perdoa tudo quanto faz, se fevereiro não for secalhão e o rapaz não for ladrão”

A previsão mensal indicava a possibilidade de um mês tendencialmente seco e com temperaturas acima da média e assim está a ser, em toda a região sem exceção. Nos últimos dias verificamos como apesar da muita nebulosidade, a precipitação foi muito escassa ou mesmo nula e as temperaturas, quer mínimas, quer máximas, estiveram bem acima do que seria normal e desejável para esta altura do ano.


Em fevereiro, vai acima ao outeiro: se vires verdejar, põe-te a chorar; se vires terrear, põe-te a cantar

Fevereiro arrancou com nova mudança de padrão meteorológico na nossa região, as chuvas registadas durante a segunda metade de janeiro, cessaram, e devido ao posicionamento do anticiclone na península ibérica, fomos afetados por uma massa de ar tropical que fez com que os termómetros subissem para valores que, embora não sejam inéditos para a época, são de facto pouco comuns, iniciamos a semana, no passado domingo, com Mirandela a chegar aos 20.7ºC, Bragança aos 18.1ºC, e o Douro perto dos 24ºC.