Nordeste Transmontano

Jorge Fidalgo clarifica declarações sobre Conselho Nacional do PSD

Publicado por AGR em Seg, 2019-11-18 16:29

Considerando que as declarações prestadas ao Mensageiro de Bragança sobre a ausência de Hernâni Dias do Conselho Nacional do PSD, feitas por telefone, possam dar azo a “interpretações erradas”, o presidente da Distrital de Bragança do PSD pediu para “clarificar” as afirmações feitas.

“Quero esclarecer que jamais poria em causa o empenho, e portanto o desejo, por parte do Dr. Hernâni, em que o PSD, o nosso partido, não tivesse o melhor resultado nas últimas Legislativas ou em qualquer outra eleição disputada pelo PSD. Sou testemunha direta (aliás, a fotografia que acompanha a notícia é prova disso), do total envolvimento, em particular nos momentos mais mediáticos da campanha, do Dr. Hernâni e do dinamismo que colocou nas ações em que participou. O resultado obtido deve-se ao trabalho de todos e também do Hernâni, o que permitiu a maior vitória distrital sendo que, no concelho de Bragança, o PSD também foi vitorioso.

O que quis dizer, mas que a peça jornalística não transmite, e sublinho, no âmbito das eleições diretas para presidente do PSD, é que o Dr. Hernâni apoiaria, de forma inequívoca, a candidatura do Dr. Luís Montenegro. Lembro que, estatutariamente, as eleições diretas teriam de ocorrer, obrigatoriamente, no início de 2020 independentemente do resultado das Legislativas. A conversa telefónica, sublinho, decorreu com o Conselho Nacional e Diretas como pano de fundo.

Quanto ao “pagamento de quotas gera guerra no seio do PSD”, discordei e discordo do Dr. Hernâni quando se refere ao “calvário dos militantes”. Na verdade, as regras são iguais para todos e, claramente, dificulta uma prática a nível nacional de pagamento de quotas em bloco. É o Dr. Rui Rio que usa a expressão “acabar com a vigarice” de forma generalizada. Não me referi, nem o poderia fazer, a ninguém em concreto, muito menos ao Hernâni ou a qualquer outro companheiro.

Tenho com o Hernâni, meu colega autarca, companheiro e primeiro vice-presidente da CP Distrital a maior estima, consideração e amizade sinceras. Tal como nas anteriores eleições Diretas estamos em lados opostos, o que demonstra a democracia e plena liberdade de escolha dentro da CP Distrital. Estamos e estaremos do mesmo lado na defesa do PSD Distrital e do Distrito”, explica Jorge Fidalgo.

O presidente da Distrital do PSD acredita, contudo, que “esta notícia, desenquadrada do contexto em que a conversa se desenvolveu, gera mal estar, compreensivo” mas “não levará a nenhuma guerra”. “Sabemos bem quem são os nossos adversários políticos e, como o demonstram os últimos resultados, os militantes tudo continuarão a fazer, por maioria de razão o Hernâni com provas dadas ao longo do seu percurso político e de militância, seja qual for o líder eleito, para dar vitórias ao PSD e dessa forma melhor servirmos os nossos territórios”.

“Em consciência tinha de fazer este esclarecimento porque foi só este, e apenas este, o propósito das minhas afirmações. Lamento outras interpretações que, compreendo, possam ter sido feitas”, ressalva Jorge Fidalgo.

“É público o meu trabalho na CP Distrital no sentido da união e fortalecimento do partido, donde serei o último a criar guerras ou sequer a desejá-las. No PSD é muito mais aquilo que nos une do que o que nos separa”, finaliza.