Nordeste Transmontano

Incêndio de Vilar de Lomba foi um dos maiores em Portugal este ano

Publicado por Glória Lopes em Ter, 2020-08-04 10:51

O incêndio que deflagrou em Vilar de Lomba, no concelho de Vinhais, no passado dia 25 de julho, foi o sexto maior fogo registado em Portugal entre 1 de janeiro e 31 de julho, divulgou o último relatório do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). Este incêndio resultou em 960 hectares de área ardida, dos quais 449 ha eram povoamentos, 468 ha de mato e 43 ha dizem respeito a área agrícola.
Na lista dos 20 maiores incêndios deste ano consta ainda o fogo de Seixo de Manhoses, em Vila Flor, no dia 25 de julho, que teve um saldo de 195 hectares de área ardida, nomeadamente 137 de povoamentos, 11 de mato e 47 de área agrícola.
O distrito de Bragança este ano já foi assolado por 117 incêndios que resultaram em 1496 hectares de terreno queimado, sendo o quinto com mais extensão de área ardida.
Segundo o mesmo relatório relativo a sete meses este ano já foram registados 5294 incêndios, dos quais 2740 foram investigados (o que equivale a 52% do total e a 44% da área ardida). A investigação permitiu a atribuição de uma causa a 1840 incêndios, ou seja 67% dos investigados e responsáveis por 41% do total da área ardida.
Até à data, as causas mais frequentes dos incêndios de 2020 são o Incendiarismo - Imputáveis (27%), Queimadas de sobrantes florestais ou agrícolas (19%), Queimas de amontoados de sobrantes florestais ou agrícolas (9%) e Queimadas para gestão de pasto para gado (8%). Conjuntamente, as várias tipologias de queimadas e queimas representam 36% das causas apuradas. Os reacendimentos representam 11% do total de causas apuradas, num valor inferior face à média dos 10 anos anteriores (15%).