A opinião de ...

“A água de Junho, bem chovidinha, na meda faz farinha”

A reta final da primavera meteorológica foi como se previa, quente e seca, após vários meses relativamente húmidos que afastaram o cenário de seca da nossa região, maio deverá trazer novamente um período seco ao nordeste transmontano, com valores de precipitação registada muito abaixo dos valores médios para esta época do ano, a chuva deixou de cair a partir dia 15 e não deverá voltar pelo menos até ao final do mês, tendo-se acumulado apenas 32.4mm, quando a média se situa em cerca de 70mm, a ausência de precipitação, o calor, e a forte evapotranspiração, implicaram uma redução dos índices de água nos solos nos últimos dias.
As temperaturas estiveram bem acima dos valores médios para este período, em especial a partir de dia 17, com Bragança a superar os 30ºC no dia 25, Mirandela a chegar aos 34ºC e Moncorvo aos 31.2ºC, valores ainda mais altos no vale do Douro, temperaturas de pleno verão ainda na primavera, valores elevados, mas longe de excecionais para a época.
As previsões mensais não eram consensuais, mas havia a possibilidade, em especial pelo modelo americano, de um Junho fresco e húmido na sua primeira metade, de momento, os modelos de curto prazo intuem também essa possibilidade, com uma possível “cut-off” (bolsa de ar frio isolada em altura) a partir de dia 1 de Junho, que se colocaria entre Portugal Continental e as regiões autónomas, contribuindo para uma nova destabilização da atmosfera, com aumento das possibilidades de ocorrência de trovoadas e precipitação, também poderia trazer uma queda notável das temperaturas, em especial das máximas, Bragança, Macedo de Cavaleiros e Miranda do Douro, que esta semana tiveram máximas na ordem dos 31/32ºC, poderão descer aos 24ºC na próxima, Mirandela poderia cair dos 36ºC aos 28ºC, uma descida na ordem dos 7/8ºC, que deverá gradual a partir de domingo, dia 31 de maio.
Esta semana o sol nasce em Bragança, às 05:58 e põe-se às 20:54, estamos a apenas um mês do máximo anual de luz solar, que coincide com a chegada do verão astronómico, no sábado, dia 20 de junho.
Verão Meteorológico? Verão Astronómico? Sim, são diferentes, em meteorologia as estações do ano não seguem o calendário astronómico que nos ensinaram na escola, em meteorologia as estações entram no mesmo mês, mas a dia 1, ou seja o verão arranca a 1 de junho, o outono a 1 de setembro, o inverno a 1 de dezembro e a primavera a 1 de março.
Dada a incerteza das previsões a prazo, aconselhamos o acompanhamento das atualizações de todas as informações na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes - Portugal.

Edição
3783