A opinião de ...

“A água que no Verão há-de regar, em Abril e Maio há-de ficar.”

Março já lá vai e terminou de modo a fazer corar de vergonha os meses invernais, que de inverno tiveram pouco.  A tão aguardada neve chegou, tarde, mas chegou, ao contrário do habitual, foram os concelhos mais a sul e leste do distrito, que registaram neve em abundância, enquanto na capital, em Bragança, apenas caíram alguns, tímidos flocos. A nevada chegou a ser significativa em concelhos como Moncorvo, Vila Flor ou Alfândega da Fé e vimos nevar, embora em pouca quantidade em altitudes muito baixas, como é o caso de Mirandela, tratou-se de uma das maiores nevadas dos últimos anos no sul do distrito.
Já vos tinha dito nas semanas anteriores que o passado mês de março seria caracterizado pela precipitação abundante na nossa região, a média foi atingida nos primeiros dias e como houve precipitação até ao último dia do mês, importa agora fazer a contabilização total. Assim e segundo o IPMA, Bragança registou em todo o mês 96.8 litros por metro quadrado, valor muito superior à média para o período (1971-2000), de 44.3 litros, ou seja a quantidade de precipitação acumulada foi mais do dobro da média, um cenário muito positivo para se evitar o regresso da seca à nossa região ainda na primavera.
Olhando também para os dados relativos à bacia hidrográfica do Douro, verificamos dados muito positivos, neste momento esta bacia encontra-se a 81.6% de volume total armazenado, quando a média é de 73.5%. A albufeira da Serra da Serrada que garante o abastecimento à cidade de Bragança está a 100% e o Azibo em Macedo de Cavaleiros a 95%.
“Abril, águas mil”, diz a sabedoria popular, o mês arrancou chuvoso e a tendência é que assim continue, as previsões mensais indicam com grande probabilidade, que se tratará de um mês com anomalia positiva na precipitação, ou seja, com chuvas abundantes, acima da média, o que não deixa de ser uma boa noticia, depois de um inverno excessivamente seco. No que toca às temperaturas, espero alguma variabilidade, com alguns dias frescos.
A instabilidade tem caracterizado esta semana santa e nos próximos dias, a chuva continuará a fazer ato de presença, com probabilidades de precipitação superiores a 50% no nordeste transmontano no fim-de-semana Pascal e temperaturas que devem descer um pouco a partir de amanhã, sexta-feira santa, as mínimas deverão rondar os 7/8ºC e as máximas irão variar entre os 18 e os 14ºC em Bragança, ligeiramente mais elevadas nos vales da Terra Quente, Mirandela pode superar os 20ºC de máxima até domingo de Páscoa.
Desejo uma Santa Páscoa a todos os leitores, fique em casa e até para a semana.

Edição
3776