A opinião de ...

Fevereiro 2020 histórico, o mais quente desde que há registos na Europa e em Portugal

Foram divulgados vários relatórios por entidades oficiais como o Copernicus Climate Change Service (C3S), o programa da União Europeia para observação das mudanças climáticas, que anunciou que a Europa acaba de vivenciar o inverno mais quente desde que começaram os registos meteorológicos, em 1855. A temperatura média no continente entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020 (inverno meteorológico) foi 3,4 ºC mais alta do que a média registada no período entre 1981 e 2010, e também 1,4 ºC acima do anterior inverno mais quente já registado, o de 2015/16. O serviço oficial da UE para as mudanças climáticas apresenta relatórios mensais sobre a temperatura da atmosfera, o gelo marítimo e ciclo hídrico, com base em informações de satélites, navios, aviões e estações meteorológicas.
Por cá, também o IPMA, já divulgou o relatório relativo a fevereiro, sem surpresa, caracterizado oficialmente, como extremamente quente e extremamente seco. Também em Portugal, o último fevereiro, foi o mais quente de todos os fevereiros desde que há registos, ou seja desde 1931, o valor médio da temperatura média do ar, 12.43 °C, foi muito superior ao normal com uma anomalia de +2.45 °C, valor médio da temperatura máxima do ar, 17.89 °C, foi o valor mais alto desde 1931, com uma anomalia de +3.51 °C, o valor médio da temperatura mínima do ar, 6.96 °C, também foi superior ao normal (+1.39 °C), sendo o 10º valor mais alto desde 1931 e o 2º mais alto desde 2000 (mais alto em 2008).
Fevereiro também foi o 5º mais seco desde 1931 (mais seco em 2012), valor médio da quantidade de precipitação em fevereiro, 16.6 mm, corresponde apenas a 17 % do valor normal 1971-2000, verificou-se, em relação ao final de janeiro uma diminuição significativa dos valores de percentagem de água no solo em todo o território. Em relação ao índice PDSI (seca), a nossa região passou da classe de chuva fraca em janeiro, para a classe normal em fevereiro, sendo que a tendência é de agravamento da seca ainda no decorrer de março, não se descartando o regresso à classe de seca ainda este mês, caso as previsões que apontam para um mês quente e seco se confirmem.
Os últimos dias foram de temperaturas bem acima da média na nossa região, pelo que o padrão que se manteve nos últimos meses persiste, com mínimas não demasiado frias e máximas acima dos 20ºC em praticamente todo o nordeste transmontano, nos próximos dias, as máximas deverão descer um pouco, contudo, continuaremos com tempo em geral estável, com baixas probabilidades de precipitação e temperaturas acima da média.
Dada a incerteza das previsões a prazo, aconselhamos o acompanhamento das atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3772