A opinião de ...

Quaresma reforçada, Páscoa renovada

O dramatismo do surto pandémico Covid-19 apresenta-se-nos como uma oportunidade de maior consciencialização para todos, crentes e, não crentes. “Mesmo nesta situação de crise delicada, Deus não nos abandona, está connosco”, como refere D. José Cordeiro, incentivando-nos à “criatividade pastoral e litúrgica” remetendo-nos para uma maior vivência em casa, e em família.
Muitos bispos e, párocos, desde suas casas, capelas, igrejas, catedrais, multiplicam as missas pela internet para responder à suspensão de celebrações comunitárias, pois privou-se as comunidades do "bem maior que é a Eucaristia", para evitar o "mal maior" de um contágio, como referiu D. José. Outros, no anonimato, rezam pelos que lhe estão confiados e, apresentam inúmeras propostas de valorização da fé, em família, ou simplesmente refletem a Palavra de Deus e, deixam mensagens de esperança.
Perante esta “quarentena forçada” os católicos podem viver uma “quaresma reforçada”, como refere o Pe. Gonçalo. Já D. Carlos Azevedo fala de uma ocasião de renascimento espiritual, de renovação de critérios e de estilo de vida - ganha peso de esperança, exatamente oposto ao desespero. Quando todos os eventos se adiam, a Quaresma impulsiona-nos ao já e agora.
O vírus traz consigo o medo, mas não nos pode levar ao pânico irracional, alerta o Pe. Calado, como o que fez esgotar produtos nos supermercados, levando as pessoas a comprar mais do precisavam, fazendo com que outros não tivessem acesso ao necessário. Sintamo-nos impelidos a pensar e agir mais pelos outros, a proteger as pessoas, mais do que a impor a nossa agenda “soberanista e securitária” e, a nossa vontade.
Como cristãos não podemos reunir-nos na comunidade alargada. Privilegiemos a oração em família, Igreja doméstica, rezando a Palavra de Deus, através da TV, da rádio, da Internet, recitando o Terço, a Via-Sacra, fazendo a leitura orante da Palavra de Deus, a partir da Sagrada Escritura, dando tempo ao silêncio meditativo e, orante. Os pais façam a catequese em casa, aos seus filhos. Que seja o Evangelho a iluminar a nossa vida quotidiana. Rezemos uns pelos outros, de modo particular pelos que nos governam para que tomem as medidas mais oportunas e necessárias, a este momento de crise, pensando mais nos cidadãos, que nos interesses e, para que todos sejamos mais humildes para a acatar as leis e as cumprir.
Que todos possamos experienciar uma nova humanidade e, que com a “Quaresma reforçada” tenhamos uma Páscoa verdadeiramente renovada.

Edição
3773