Nordeste Transmontano

Covid-19: Confinamento obrigatório entra em vigor na sexta-feira

Publicado por Fernando Pires em Qua, 2021-01-13 20:21

No final do Conselho de Ministros, há instantes, o primeiro-ministro anunciou novas medidas para controlar a pandemia de Covid-19.

Portugal vai regressar, a partir das zero horas da próxima sexta-feira (dia 15 de janeiro), ao recolhimento domiciliário, tal como aconteceu em Março, mas desta vez, as escolas vão manter-se abertas.

"As regras são essencialmente as mesmas" que vigoraram durante o primeiro confinamento, em março e abril de 2020, mas "com uma exceção que se prende com o calendário democrático das eleições presidenciais" e também "com a necessidade de não voltarmos a sacrificar a atual geração de estudantes" pelo que "iremos manter em pleno funcionamento todos os estabelecimentos educativos", declarou António Costa.

A questão da escola, reconheceu o primeiro-ministro, "divide a comunidade científica, mas une a comunidade educativa".

Por isso, "depois de ouvir representantes das famílias, diretores de escolas, profissionais e de avaliarmos as consequências para o processo educativo do ano passado, não podemos repetir este ano a mesma regra" de interromper o ensino presencial, como aconteceu na primeira vaga. "Com as cautelas que tornaram a escola segura vamos mantê-la em funcionamento", sublinhou.

António Costa lembrou que as exceções existem "porque não deixaremos de ir às compras e de trabalhar quando tivermos de ir trabalhar", mas a regra é o recolhimento domiciliário.

O teletrabalho vai voltar a ser obrigatório, para todas as funções compatíveis, ainda que o trabalhador ou o empregador não concorde. "Tal como aconteceu em março e abril o teletrabalho é imposto sem necessidade de acordo e dispensando o acordo de qualquer deles", ou seja, quer do trabalhador quer do empregador, anunciou o primeiro-ministro.

De acordo com António Costa, as empresas que violarem as regras ficarão sujeitas a uma contra-ordenação muito grave.

O confinamento será, para já, por 15 dias, mas António Costa já afirmou que não acredita que este período de tempo seja suficiente para reverter o crescimento de novos casos de infeção pelo novo coronavírus.

Veja aqui as medidas; https://covid19estamoson.gov.pt/medidas-covid19-ambito.../