A opinião de ...

No dia de Santo André, pega o porco pelo pé; se ele disser quié-quié, diz-lhe que tempo é; se ele disser que tal-que-tal, guarda-o para o Natal.

Em toda a região já se pensa na tradicional matança do porco, como sabem, trata-se de uma atividade que também depende em boa medida das condições meteorológicas, uma vez que é preferível que se tenha tempo seco e frio, fundamental para curar as carnes e para que se possa efetuar a secagem do fumeiro com qualidade acrescida, já o veremos adiante…
Nos últimos dias, as previsões cumpriram-se, a chuva tem feito ato de presença praticamente todos os dias em toda a região, ainda que sem dados oficiais, parece-me razoável concluir que já terá chovido o suficiente para se superarem as médias mensais na maior parte da nossa geografia, os rios e ribeiros vão ganhando algum caudal, embora ainda longe do habitual para esta época do ano, as temperaturas, estiveram bem acima do normal, com mínimas muito longe de valores frios e máximas bem agradáveis, em especial na designada Terra Quente Transmontana.
As condições meteorológicas não se vão alterar demasiado pelo menos até dia 30, iremos continuar sob a influência das baixas pressões, ou seja, com altas probabilidades de precipitação e temperaturas amenas, dezembro parece querer trazer novidades, com alteração do padrão atmosférico, ainda não se sabe se duradouro ou não, contudo, o mais provável é a intensificação das altas pressões no Atlântico norte, funcionando como um “muro” que impedirá a chegada de mais precipitação a Trás-os-Montes e anunciará a chegada de tréguas da chuva, a estabilidade prevista deverá proporcionar o aparecimento dos nevoeiros frios do nosso inverno, acompanhados das habituais inversões térmicas, ou seja, poderá fazer mais frio em alguns vales e terras baixas que em altitudes médias, quando o ar frio (mais pesado) tende acumular-se neste locais, os nevoeiros são mais prováveis nos vales do Tua, Rabaçal, Sabor, Douro e Côa.
Assim, dezembro trará boas condições para as matanças que se fazem um pouco em toda a região, tanto as mínimas como as máximas tendem a descer a partir de dia 1, com as máximas a colocarem-se de novo abaixo dos 10ºC e as mínimas em torno aos 0ºC ou mesmo negativas em muitas localidades transmontanas, podendo pontualmente registar-se mínimas entre os -2ºC e os -4ºC no dia 4 de dezembro, o que se traduz numa descida de mais de 10 graus em relação às mínimas de dia 30 de novembro, nas máximas a descida será mais ligeira, ainda assim no mesmo período poderão cair entre 5 a 7ºC.
Dada a distância temporal das previsões, aconselho que sigam diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3758