A opinião de ...

“Quando em Março arrulha a perdiz, ano feliz”

O IPMA disponibilizou o boletim climatológico sazonal do inverno 2019/2020 e sem surpresa confirmou que se tratou do segundo inverno mais quente em Portugal desde que há registos, apenas superado pelo ano 1990.
O valor médio da temperatura média do ar, 11.00 °C, foi superior ao normal com uma anomalia de +1.47 °C. O valor médio da temperatura máxima, 15.67 °C, foi o valor mais alto desde 1931, com uma anomalia de +1.92 °C em relação ao valor normal 1971-2000. O valor médio da temperatura mínima do ar, 6.33 °C, também foi superior ao normal, +1.01 °C, sendo o 3º valor mais alto desde 2000. Valores de temperatura mínima do ar superiores aos deste inverno ocorreram em cerca de 20% dos anos, desde 1931. O total da quantidade de precipitação ocorrida nos meses de dezembro a fevereiro, 275.1 mm, corresponde a cerca de 78% do valor médio. Valores da quantidade de precipitação inferiores aos deste inverno ocorreram em cerca de 40% dos anos, desde 1931.
Fevereiro de 2020 foi o mais quente desde 1931 e o valor da temperatura máxima do ar foi o mais alto desde 1931; foram ultrapassados os maiores valores da temperatura máxima do ar para o mês de fevereiro em cerca de 40% das estações meteorológicas da rede IPMA.
Como é normal na Primavera, as condições meteorológicas na nossa região têm sido inconstantes, com períodos de estabilidade intercalados por períodos de maior instabilidade, no passado fim-de-semana registamos algumas trovoadas, em especial no norte e centro do distrito, deixaram alguns aguaceiros, muito localizados, pontualmente intensos e acompanhados de granizo de pequena dimensão.
Olhando os dados oficiais, verificamos que graças às chuvas abundantes do início do mês, a quantidade de precipitação recolhida em Bragança está muito acima da média para o período, com 86.7mm, quando a média é de 44.3mm, ou seja cerca do dobro, uma vez que se prevê mais precipitação nos últimos dias do mês, o valor deverá ainda aumentar, confirmaremos nas próximas atualizações.
No que diz respeito às temperaturas, continuamos com valores em geral acima da média, tal como o previsto, nos últimos dias, não houve registo de geadas sequer, com as mínimas entre 6 a 8ºC acima do que seria normal para a época.
Nos próximos dias, o mais destacado será a descida das temperaturas, que sentiremos já amanhã e que se poderá acentuar na próxima semana, quando o modelo europeu ECMWF prevê uma entrada de ar frio, procedente de latitudes altas, que a confirmar-se, fará cair e muito os termómetros, trazendo instabilidade típica dos meses de inverno, com o regresso das temíveis geadas tardias, que poderão fazer estragos no final de março e início de abril, situação que dada a distância temporal, aconselhamos seguirem nas nossas redes sociais.

Edição
3774