A opinião de ...

“Por todo o mês de Julho, o celeiro atulho”

Chegou o tempo das segadas, no campo, olha-se ao céu e espera-se que São Pedro respeite o trabalho do agricultor, a precipitação é dispensável nos próximos dias no nordeste transmontano. Nas aldeias começa o alvoroço sempre que a malhadeira aparece, é necessário saber onde está e seguir a sua lavoura, sob pena de alguma leira ficar para trás e o centeio ficar na terra, depois da malhadeira, toca turno à enfardadeira, que deixará a palha bem armazenada, essencial para enfrentar o inverno que mais tarde virá.
De momento, tudo parece indicar, que as segadas poderão seguir com relativa normalidade, uma vez que o cenário mais provável nos próximos dias é de continuação de um padrão muito semelhante ao que temos vindo a assistir nas últimas semanas, ou seja com tempo em geral estável, com temperatura altas, próprias da época do ano, e possíveis episódios de trovoadas, irregularmente repartidas, fruto do calor muito intenso e da possível entrada de ar frio ainda durante o próximo fim-de-semana, situação a confirmar nos próximos dias.
O período de canícula já vai longo e promete continuar nos próximos tempos, na capital, Bragança, espero temperaturas máximas consecutivamente acima dos 30ºC pelo menos até dia 23, chegando facilmente aos 33/35ªC, já em Mirandela espero ainda mais calor, com o mercúrio dos termómetros a alcançar a marca dos 40ºC entre os dias 17 e 19, sendo que até dia 23, as máximas nunca irão baixar dos 38ºC, valores que segundo os critérios de emissão de avisos do IPMA, justificam avisos laranja e vermelhos, infelizmente aquele instituto marginaliza a maior parte da população portuguesa ao emitir avisos de temperatura apenas para as capitais de distrito, extrapolando esses avisos para os respetivos distritos, ou seja sem ter em conta as especificidades climatológicas de cada unidade territorial, um sistema que apenas serve para “inglês ver” e que não reflete a realidade, que o digam os mirandelenses, os flavienses, os durienses…
Nas últimas noites já foi e continuará a ser visível o cometa Neowise, o mais brilhante dos últimos anos. Um dos melhores “spot’s” para contemplar este espetáculo da natureza é mesmo a nossa região, logo após o pôr-do-sol, por volta das 21:30 / 22:00, olhe para noroeste, procure a constelação da Ursa Maior, imediatamente abaixo poderá encontrar o corpo celeste do momento e de que todos falam, não perca a oportunidade, só voltará daqui a 6765 anos.
Dada a distância temporal da previsão apresentada, aconselho o acompanhamento das informações atualizadas diariamente nas redes sociais, Facebook e Twitter.

Edição
3790