Bragança

Caderno de orações esteve 75 anos escondido mas acabou por vir à luz no Terra (s) de Sefarad

Publicado por Glória Lopes em Seg, 2019-06-24 12:01

Um caderno com orações, compilado manualmente e datado de 1925 , esteve guardado por um sapateiro de Bragança, neto do compilador, durante décadas e só no ano 2000 foi tornado público. O manuscrito fui usado na investigação de Anun Barriuso e José Manuel Laureiro, intitulada 'Los criptojudíos de La Raya. Una Cultura de Resistencia. Las rezas de Bragança' agora publicada em livro. "Trabalhamos nele um ano. Traduzindo as 54 rezas que continha que agora fazem parte do livro. Explicam que o judaísmo não desaparece, vai evoluindo em segredo, vai desenvolvendo a sua própria liturgia separada da oficial, porque também não a conhecem", explicou José Manuel Laureiro. Na região não é habitual encontrar a rezas escritas. "Nós só encontramos este livro manuscrito por uma só pessoa, mais há um outro mais pequeno, do mesmo autor, e estamos a começar a trabalhar nele. Nunca tínhamos encontrado as rezas escritas, só tínhamos conhecimento de rezas que passavam através da oralidade. Conservar um manuscrito nestas condições era um perigo. O livro passou para o neto no ano 2000 ", adiantaram os investigadores.