Bragança

Elementos do PS abandonam sessão da Assembleia Municipal em protesto

Publicado por AGR em Sex, 2020-07-31 12:06

A sessão extraordinária desta sexta-feira da Assembleia Municipal de Bragança ficou marcada por um incidente entre a bancada do Partido Socialista e o Presidente da Mesa, Luís Afonso, que terminou com os 11 deputados socialistas a abandonarem a reunião.

O líder da bancada socialista, Dinis Costa, acusou o presidente da Mesa da Assembleia de “censura” por lhe ter cortado a palavra durante a sua intervenção.
Luís Afonso alega que a intervenção de Dinis Costa não se referia ao ponto em discussão.

“Esta Assembleia, de caráter extraordinário, tinha quatro pontos agendados. Dois para deliberação e dois para tomada de conhecimento. Se o PS pretendia discutir mais algum ponto, poderia ter solicitado a sua inclusão no agendamento em sede de reunião da comissão permanente. Nessa reunião perguntei se alguém queria incluir mais algum ponto e ninguém se pronunciou. Não foi nenhum ato de censura, simplesmente tive de fazer cumprir o regimento desta Assembleia”, frisou Luís Afonso.

A intervenção de Dinis Costa, com quem o Mensageiro ainda não conseguiu falar apesar das tentativas de contacto já realizadas, visava precisamente o presidente da Assembleia Municipal, a propósito das declarações de Luís Afonso prestadas ao Mensageiro na semana passada, em que se considerava “magoado” com o PS devido às intervenções sobre o processo da venda de um terreno a uma empresa na qual Luís Afonso é sócio.

Ao Mensageiro, Nuno Diz, presidente da Concelhia de Bragança do PS e presente na Assembleia na qualidade de presidente de Junta do Parâmio, sublinhou a posição de que se tratou de “um atentado ao direito de intervenção dos deputados”.

“As pessoas têm o direito de expressar a orientação de voto e dizer por que o fazem. Tirar a palavra antes mesmo de ler a intervenção e sem saber o seu conteúdo não faz sentido. No final da Assembleia houve uma intervenção a elogiar o Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Municipal [por parte do deputado social democrata Eduardo Malhão], portanto sem ligação a nenhum dos pontos em discussão, e ninguém lhe cortou a palavra”, acusa Nuno Diz.

Sobre o não agendamento prévio do assunto relativo a Luís Afonso, Nuno Diz esclareceu que “não se pretendia discutir nenhum ponto”. “Só queríamos explicar que os deputados do PS não se iriam pronunciar no resto da sessão sobre nenhum assunto”, explicou.

Depois desse incidente, os 11 elementos do PS abandonaram a sala em protesto, ainda que cinco deles tenham regressado posteriormente.