Bragança

‘umahora vi’ reúne o melhor da obra de Túlia Saldanha no Centro de Arte Contemporânea

Publicado por Glória Lopes em Qui, 2020-07-02 10:26

O Centro de Arte Contemporânea Graça Morais (CAC), em Bragança, tem patente ao público até 27 setembro, a exposição ‘umahora vi’ que reúne um número significativo de obras de Túlia Saldanha (Peredo, Macedo de Cavaleiros, 1930 - 1988) “capazes de convocar não só as principais linhas de trabalho da artista mas também a pluralidade de temas e disciplinas de um percurso artístico construído, ao longo de duas décadas, entre uma prática individual e coletiva e que, em grande medida, está ainda por descobrir”, escreveu Jorge da Costa, curador desta mostra e diretor do CAC.
Túlia Saldanha que iniciou a sua carreira aos 37 anos em Coimbra “foi uma das primeiras artistas portuguesas a trabalhar disciplinas como a performance, a instalação ou a criação de ambientes; práticas que exploraria a par do desenho e da pintura”. A sua criação artística foi, segundo o diretor do CAC “realizada a partir da utilização e combinação de meios de expressão muito distintos” radicando “grandemente numa dimensão conceptualista e experimental, em plena sintonia com as linguagens internacionais”.