António Pires

Chegodromamente Falando

Qual Luandino Vieira, distinto poeta angolano, julgo ter acabado de inventar o advérbio chegodromamente, formado a partir  do neologismo chegódromo, utilizado para designar o recinto destinado à luta/chega de touros, uma tradição muito popular no norte de Portugal, cujo valor identitário é entusiasticamente reclamado por bragançanos e vinhaenses.


A Diabolização do Subcomissário Filipe Silva

O final da tarde do dia 17 de Maio de 2015, em Guimarães, que devia ser de celebração para os benfiquistas, pela merecida conquista do bicampeonato, deu naquilo que o país assistiu, até à exaustão, através das imagens televisivas: um Subcomissário do Corpo de Intervenção da PSP, usando a força “desproporcionada”, agrediu à bastonada um cidadão à saída do estádio D. Afonso Henriques, palco do escaldante Guimarães – Benfica.


Os Candidatos Fora dos Partidos

No dia em que o cidadão Henrique Neto, deputado à Assembleia da República pelo Partido Socialista, entre 1995 e 1999, assumiu publicamente a candidatura às eleições presidenciais de 2016, algumas figuras proeminentes do partido da rosa, nomeadamente Augusto Santos Silva e José Lello, reagiram áspera e grosseiramente à inesperada “insolência” do seu camarada.


“Um Euro por Hugo Ernano”

Tive conhecimento, através das redes sociais, na página "Vamos apoiar Hugo Ernano", que a Associação de Profissionais da Guarda Nacional Republicana (APG/GNR) está a lançar uma campanha de recolha de verbas para custear o recurso que o colega Hugo Ernano vai interpor junto do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, na sequência do processo em que foi condenado, por, acidentalmente, no dia 11 de Agosto de 2008, em Loures, ter matado a tiro um jovem de 13 anos, de etnia cigana, em resultado de uma perseguição movida ao veículo em que a vítima, o pai e um tio seguiam, após furto a um armazém d


Bragança, a Capital do Nada

 
Não obstante o investimento que ao longo dos últimos quinze/vinte anos foi feito, a nível de infra-estruturas e de acessibilidades, para tornar Bragança mais bonita e atractiva, aquilo que salta à vista de todos é que esta interessante e acolhedora cidade tem vindo a perder importância política e económica não só em relação à sua congénere vila-realense, com quem, aparentemente, sempre rivalizou, mas a Mirandela.