Bragança

Duas dezenas de alunos tiveram de ir à Urgência devido a indisposição

Publicado por Glória Lopes em Qui, 2019-10-17 15:08

A Autoridade de Saúde Pública da Unidade Local de Saúde do Nordeste está a estudar um alegado vírus que afetou vários alunos de Bragança, a maioria deles do Agrupamento de Escolas Emídio Garcia. Entre o final da tarde de terça-feira e a manhã de hoje pelo menos duas dezenas de estudantes recorreram ao serviço de Urgência com os mesmos sintomas, nomeadamente vómitos, diarreia e febre. "Estamos ainda a estudar o caso. Inicialmente pensou-se que fosse algum alimento que tivessem comido na cantina mas essa hipótese está posta de parte. Tudo indica que começou em alunos mais novos e que acabou por se propagar aos mais velhos referiu o médico, Luís Casinha.
O diretor do estabelecimento de ensino, Eduardo Santos, disse que a direção está a acompanhar a situação e que só ontem verificaram que vários alunos se queixavam de indisposição. "Tudo indica que é um vírus. Têm estado mais tempos juntos porque estiveram envolvidos na campanha para a eleição da Associação de Estudantes, que estão a decorrer hoje", referiu o responsável pela escola.
Na sequência de casos de doença com sintomas gastrointestinais detetados em estabelecimentos de ensino do concelho de Bragança, a Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste esclarece, através da Unidade de Saúde Pública, que se apurou, após estudo epidemiológico, que o quadro clínico não foi motivado pelo consumo de alimentos que pudessem estar contaminados, mas provavelmente será de causa vírica. Os casos registados até ao momento foram acompanhados na Unidade Hospitalar de Bragança, encontrando-se apenas um doente em observação.
As entidades de saúde recomendam o reforço das habituais medidas de higiene quando em contacto com pessoas eventualmente afetadas, nomeadamente a lavagem das mãos, de modo a minimizar o risco de transmissão de doença Aconselha-se também, perante os referidos sintomas, o reforço da ingestão de líquidos, evitando a desidratação em caso de doença.
O Mensageiro contactou as direções dos Agrupamentos de Escolas Abade de Baçal e Miguel Torga que garantiram "desconhecer casos semelhantes nos estabelecimentos de ensino que tutelam".