Henrique Ferreira

Professor

Merecerão os portugueses a Europa?

Realizaram-se no passado dia 26, em quase todos os países da EU, as eleições para os deputados ao Parlamento Europeu.
Em Portugal, face à elevada abstenção verificada (68,6%), a terceira pior na EU, é impossível fazer leituras rigorosas dos resultados. É pertinente perguntar, sim, se os portugueses merecem a Europa. E, ainda, gritar pelo voto electrónico pois os responsáveis parecem ainda não ter percebido que pelo menos 50% dos eleitores estão deslocados face aos seus locais de voto.
A chamada «Esquerda» ficou maioritária: 54% contra 46% da chamada «Direita».


O mestre de cerimónias e os serviçais

Nas últimas duas semanas, o país assistiu a um fenómeno extremamente raro na política portuguesa que foi o de um Primeiro-Ministro submeter todos os deputados à Assembleia da República, tanto os teoricamente fiéis ao Governo como os da Oposição a este.
O país assistiu, atónito, à retirada da autonomia política relativa aos deputados da Comissão de Ciência, Educação e Cultura daquela Assembleia pelas lideranças dos grupos parlamentares nela representados e pelos líderes partidários do PSD, do CDS e do Bloco de Esquerda. Nunca, antes, se tinha visto tal coisa.


Laços de sangue como reduto da confiança política?

A proximidade às eleições europeias de 2019 trouxe para debate as relações familiares na constituição do XXI Governo Constitucional. A questão foi suscitada pela RTP1 em 23 de Fevereiro e foi-se constatando que o problema não é afinal exclusivo deste Governo mas de todos os governos, uns mais que outros, e requer uma intervenção legislativa. O Estado de Direito, Laico e Republicano, não professa nem uma religião nem uma moral específicas.


O «Monte» de Rio está «Negro»?

As duas últimas semanas foram agitadas quanto baste. Populismo de todos os lados, desde o PR ao Governo, eleitoralismo deste e enfrentamento no PSD. Situemo-nos no enfrentamento no PSD.
Os «santanistas» que não abandonaram o Partido e os «passistas» que se mantiveram fiéis a Passos Coelho têm duas ideias sobre Rui Rio e seus apoiantes: 1) que este não lhes dará um lugar de relevo nas listas aos próximos actos eleitorais; e, 2) que Rui Rio e seus apoiantes estão a fazer uma má oposição ao governo da «Geringonça».


Excelente 2019

É da praxe desejarmo-nos um ano novo bom e, por isso, aqui estou a desejar um BOM 2019 a todos os leitores de Mensageiro de Bragança.
Gostaria, em primeiro lugar, que não houvesse nem pobres nem doentes. E, em segundo lugar, que toda a gente quisesse trabalhar e tivesse trabalho remunerado acima dos 750 euros mensais. Sinto que estou a pedir muito mas sonhar ainda não é proibido. E, além disso, não estou a pedir mais que a média dos ordenados mínimos europeus face ao PIB de cada país.


Natal – uma efeméride sob ataque

Cinco características essenciais definem o Natal do Cristianismo: 1) nascimento de Jesus Cristo e, com ele, a fundação do Cristianismo; 2) consolidação da família monogâmica (uma só mulher e um só homem); 3) definição da família como núcleo central, socializador e educador das crianças; 4) núcleo mantenedor da população da sociedade/ comunidade e, por isso, procriador, quase obrigatório, de crianças; e, 5) elemento de uma doutrina religiosa que formou uma civilização, a chamada civilização Ocidental, de matriz greco-romana e cristã, que também permitiu a emergência do liberalismo, do capita


De Marraquexe para onde?

No mundo actual, há cada vez mais pessoas migrantes. A ONU (2017) estima que serão actualmente 258 milhões. Face à crise do Mediterrâneo e aos conflitos na África e no Médio Oriente, o Secretariado para as Migrações da ONU conseguiu fazer aprovar em 13/6/2018 o Pacto Global para uma Migração Segura, Ordenada e Regular (GCM, na sigla em inglês) e agendou para os próximos dias 10 e 11, em Marraquexe, a cimeira de assinatura deste Pacto.