Pe. Calado Rodrigues

Reinventar a peregrinação no século XXI

Há muitos séculos, S. Agostinho procurou a felicidade fora dele. Mas só a encontrou verdadeiramente quando entrou dentro de si e, aí, foi surpreendido por Deus, que o aguardava. Nas Confissões ele exclama: “Tarde te amei, beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei! E eis que estavas dentro de mim e eu fora” (Livro X, XXVVI, 38).Tal como experimentou S. Agostinho no século IV, a felicidade não é uma conquista. É o resultado de um caminho interior que leva a pessoa a descobrir os seus talentos, sendo chamada a desenvolvê-los cada vez mais.


Alemanha: o motor da renovação

A Sinodalidade é um dos conceitos recuperados pelo Papa Francisco. No discurso de comemoração do cinquentenário da instituição do Sínodo dos Bispos, a 17 de outubro de 2015, o Papa afirmou categoricamente que “o caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milénio”.
Sínodo é uma palavra de origem grega que significa “caminhar juntos”. No contexto eclesial, é usada para convocar todos a darem o seu contributo para a reflexão de determinados temas ou a repensar a Igreja, seja a nível mundial, nacional ou diocesano.


A homenagem devida a Giovani

Um jovem deu a vida nas ruas de Bragança a defender os valores em que acreditava.
Luís Giovani Rodrigues era feliz porque se sentia acolhido nesta cidade, como testemunhou o pai ao presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Prof. Orlando Rodrigues. Estava entusiasmado com o curso que estava a fazer em Mirandela. Confiava que o iria ajudar a desenvolver as muitas qualidades que já lhe eram reconhecidas. Desde criança que tocava na igreja. Com outros dois amigos, tinha uma banda de musica tradicional cabo-verdiana que começava a ter algum sucesso.


Um Natal que não agrada a Deus

Como se não bastasse o consumismo marcar a quadra natalícia, esta é antecedida pela Sexta-feira Negra (Black Friday) que se transforma numa corrida desenfreada às lojas para a compra de prendas. O contraste com as circunstâncias em que se verificou o nascimento de Jesus não podia ser maior. Ele nasceu fora da cidade, num estábulo, rodeado por animais. O relato menciona que uns magos do oriente trouxeram uns presentes ao Deus menino. Hoje, para um cristão, os mais pobres são o rosto de Jesus.


A Igreja que luta pelos refugiados

As comunidades cristãs e os ses líderes, perante os dramas humanos, podem acomodar-se e preocuparem-se mais com os seus problemas internos, não reparando nos irmãos que sofrem. Não é essa a atitude que o Papa Francisco sustenta: “Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças”, escreveu na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium.


O meu tributo ao Pe. Videira Pires

O Pe. Francisco Videira Pires foi um sacerdote desta diocese que dirigiu o Mensageiro de Bragança durante três anos, desde o início de 1958 ao final de 1961. Foi um período áureo desta publicação. O jornal ficou conhecido pela sua elevada qualidade literária e gráfica. O seu diretor cultivou o debate de ideias, obtendo reconhecimento nacional.


Cristianofobia na análise da perseguição

A perseguição mais perigosa não é a declarada, mas a que se esconde envolta em insidiosas narrativas.
Em pouco mais de um mês, deram-se dois ataques que envolveram fiéis de dois credos diferentes. Em março foram atacadas duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia. No dia de Páscoa ocorreram atentados em três igrejas e quatro hotéis de luxo no Sri-Lanka. A relação entre os dois permitiu as mais diversas leituras e aproveitamentos.