Editorial - António Gonçalves Rodrigues

As vagas

Ao longo dos últimos dias, o distrito de Bragança assistiu a uma explosão de casos de covid-19.
Entre rastreios aleatórios e pequenos sintomas, foram sinalizados quase três centenas de casos na região.
Todos os concelhos voltam a estar afetados pela doença.
Tal como há um ano, a covid-19 aproveita o tempo mais frio e o facto de se passar mais tempo em locais fechados para se disseminar mais rapidamente.
Contudo, ao contrário do que aconteceu há um ano, duas diferenças fundamentais podem mudar completamente o jogo.


A crise energética

De cada vez que têm de passar passar pelas bombas de combustível para abastecer, os portugueses sentem uma mão gelada a entrar pelo bolso dentro.
Um fenómeno que se vai vivendo no nosso país desde a liberação decidida por Durão Barroso. Mas, ao invés de se assistir a uma saudável concorrência entre revendedores de combustível, assiste-se àquilo que dá todo o aspeto de ser uma concertação de preços. Então nos postos das autoestradas, chega a ser gritante de tão flagrante que é a proximidade de preços.


Papa tenta inspirar política e negócios

Segundo noticiou a agência Ecclesia, o Vaticano anunciou no passado dia 21 a criação da Fundação “Fratelli tutti”, apresentada como “um laboratório para o futuro”, a partir da encíclica assinada pelo Papa Francisco a 3 de outubro de 2020.
De acordo com a mesma notícia, o cardeal Mauro Gambetti, arcipreste da Basílica de São Pedro, vigário-geral do Papa na Cidade do Vaticano e presidente da Fábrica de São Pedro, refere em entrevista ao portal ‘Vatican News’ as prioridades do novo projeto, que aborda temas ligados ao meio ambiente, a política e os negócios.


Pés ao caminho

O passado domingo marcou o início do processo sinodal no seio da Igreja Católica, a pedido do Papa Francisco.
Na diocese de Bragança-Miranda, foi uma eucaristia celebrada na catedral, em Bragança, a dar início a esta fase que se quer de máxima auscultação, incluindo dos que "habitualmente não são ouvidos", como sublinhou o bispo D. José Cordeiro, ou "ouvir as margens", como dizia esta semana o Pe. Paulo Terroso, administrador do Diário do Minho.


Pensar o país não é isto

Terminou recentemente um curso para formação de agentes da Polícia de Segurança Pública, o 16.º, no qual se formaram 744 novos agentes. Destes, 15 por cento são do género feminino.
De acordo com a informação do Ministério da Administração Interna, os 744 novos agentes que terminaram o curso têm idades compreendidas entre os 20 e 31 anos, com o grau de escolaridade mínimo correspondente ao 12.º ano ou formação equivalente, ingressando agora na carreira de Agentes da PSP, iniciando um período experimental de um ano.


O apelo do Papa

Foi no passado dia 29 (quarta-feira) que o Papa Francisco divulgou o tema do próximo Dia Internacional das Comunicações, em 2022.
Habitualmente, a Mensagem do Papa é conhecida a 24 de janeiro, dia de S. Francisco de Sales (que na diocese de Bragança-Miranda é assinalado com um pequeno almoço entre o bispo D. José Cordeiro e os jornalistas em atividade na região) mas divulgada apenas em maio, altura em que se assinala o Dia Internacional das Comunicações (no domingo de Pentecostes).


Os Dias que se seguem

E pronto, a azáfama eleitoral já passou, honra aos vencidos, glória aos vencedores. É tempo de começar a afiar as facas, a pensar no próximo ato eleitoral, que ocorrerá dentro de quatro anos.
E o tilintar do metal já se começou a ouvir, ainda durante a noite de domingo. Mas já lá vamos.
Para já, das eleições de domingo resultam algumas conclusões. Desde logo que em Bragança, o PSD é cada vez mais uma força enraizada.
Em Freixo, a tradição tem muita força e ainda não foi desta que um autarca chega ao terceiro mandato.


Falta o envelope, senhor Ministro

Depois de uns anos de crise, em que o número de candidatos ao Ensino Superior se ressentiu, os últimos dois anos são de recordes.
A retoma económica que o país vinha conhecendo, sobretudo desde 2016, permitiu algum desafogo quer às famílias dos jovens estudantes quer aos adultos que nunca perderam de vista o objetivo de se valorizarem através de um curso ou mestrado.
Com o aparecimento da pandemia de covid-19, poderia pensar-se em novo retrocesso mas os números apontam para a manutenção do crescimento de alunos nas universidades e politécnicos.


Assinaturas MDB