Henrique Ferreira

Professor

Nos cem anos da revolução bolchevique russa

 
Ocorreu no passado dia 25 de Outubro de 2017, a efeméride do ano cem sobre a revolução bolchevique, liderada por Vladimir Ilyich Ulyanov (Lenine)
Esta revolução foi assinalada em Portugal por toda a imprensa e, em alguma dela, com grande qualidade. Com ela, pretendeu-se pôr em prática a teoria política do socialismo de Marx & Engels, definido como fase de transição entre o capitalismo e o comunismo, e inspirado na experiência da Comuna de Paris (1871), onde os contributos do cooperativismo de Robert Owen e do colectivismo de Saint-Simon se cruzaram.


«Línguas» de «fogo»

Antes de mais, quero desejar bom trabalho aos novos autarcas, recém-empossados. No caso de Bragança, dia 20. Hernâni Dias, Presidente da Câmara Municipal, disse que será um trabalho de continuidade com os últimos 20 anos, adaptado aos desafios que as mudanças económicas, políticas, sociais e tecnológicas colocam.


Uma pomba humana pela paz

 
Com alegria, muito organizados e acompanhados pelos respectivos professores e professoras, no passado dia 21, pelas 11h00, os alunos das várias escolas do Agrupamento de Escolas Emídeo Garcia foram chegando e preenchendo os espaços interiores do desenho que o Professor Trovisco havia feito nas lajes em frente à Sé Catedral de Bragança. Pena que os alunos e alunas dos outros dois agrupamentos de escolas não tivessem feito o mesmo mas não terá havido o mesmo empenho por parte das respectivas direcções e professores.


O silencioso ruído da campanha eleitoral

Pode ser que as máquinas partidárias andem inquietas, mexeriqueiras e metediças mas o cidadão pacato quase não dá por nada. Pode ser que seja porque as pessoas já não liguem à propaganda dos vendedores de ilusões e prefiram ficar em casa a cuidar dos seus problemas e dos seus trapinhos. Que isto, apesar dos Srs. Costa e Centeno dizerem que está a correr bem, o dinheiro não abunda nos bolsos dos contribuintes-cidadãos e eleitores.


Cadernos eleitorais viciados

No próximo dia 1 de Outubro, votaremos para eleger os órgãos autárquicos dos municípios (Câmara e Assembleia) e das freguesias (Assembleia de Freguesia e Presidente de Junta) em que estamos recenseados. O recenseamento eleitoral opera por freguesia e esta faz com que o recenseado pertença ao município de que aquela faz parte. Só os indivíduos recenseados numa freguesia e, por via dela, no município, podem votar.